Assinar Edições Digitais

Pedaços de nós: AMIGrante – 10 anos ao serviço dos migrantes

Num contexto de crise nacional, a imigração estagnou e assistimos, inclusive, ao regresso de muitos imigrantes aos seus países de origem.

Susana S. Ferreira, voluntária da AMIGrante e investigadora na área das migrações e segurança srsferreira@gmail.com

No início deste milénio, Portugal conheceu um período de intensa imigração, nomeadamente dos países da Europa de Leste e do Brasil. Destes, centenas de cidadãos imigrantes procuraram a região de Leiria como destino final.

A necessidade de apoio ao ensino da língua portuguesa para ajudar no processo de integração destes cidadãos, bem como as necessidades evidenciadas de conhecimento dos seus direitos e deveres na sociedade de acolhimento, conhecimento da organização social e política, entre outros, levaram ao empenho do Movimento de Educadores Católicos, da Diocese de Leiria-Fátima, do Município de Leiria, da Acção Católica Independente e da Cáritas Diocesana para a criação de uma resposta de integração ao nível local. A 23 de julho de 2003 nasce formalmente a AMIGrante – Associação de Apoio ao Cidadão Migrante.

Desde então mais de 17000 cidadãos já passaram pela AMIGrante. Questões e preocupações muito variadas trazem os cidadãos à associação: legalização, nacionalidade, segurança social, trabalho, educação, retorno voluntário, entre outras. A que acrescem o apoio e aconselhamento pessoal.

De forma a fomentar a integração social e combater a exclusão social dos cidadãos migrantes foi celebrado, um protocolo com o Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI) com vista à criação de um Centro Local de Apoio à Integração de Imigrantes (CLAII). O CLAII procura dar uma resposta integrada às necessidades dos cidadãos imigrantes, através de um atendimento de proximidade.

Paralelamente, a Associação desenvolve diversas atividades de carácter intercultural essenciais para a sensibilização da sociedade de acolhimento para as questões da diversidade intercultural, mantendo ainda as suas aulas de língua e cultura portuguesa.

Hoje, volvidos dez anos, num contexto de crise nacional, a imigração estagnou e assistimos, inclusive, ao regresso de muitos imigrantes aos seus países de origem; ao mesmo tempo que assistimos a uma emigração em larga escala dos jovens portugueses. A AMIGrante não fica indiferente aos sinais dos tempos, assim está em diálogo com a Secretaria das Comunidades Portuguesas e o Município de Leiria para uma parceria tripartida de forma a poder prestar um serviço mais completo a todos os emigrantes que a procurem.

Parabéns à AMIGrante por estes dez anos ao serviço dos migrantes!

(texto publicado na edição de 11 de julho de 2013)