Assinar Edições Digitais

Vista direita: Abrir Abril

Tempos difíceis são sempre tempos complicados. Mesmo num momento alto da nossa democracia, quando celebramos o 25 de Abril.

Domingos Carvalho, membro da Assembleia Municipal de Leiria domjcarvalho@gmail.com

Tempos difíceis são sempre tempos complicados. Mesmo num momento alto da nossa democracia, quando celebramos o 25 de Abril. Nunca duvidei que o significado do que resultou desse dia tivesse leituras para todos os gostos. Mas parecia haver um ponto comum para todos. A Liberdade! De pensamento e de expressão. O que se consubstancia nas escolhas eleitorais que vamos fazendo. Livremente. Eis senão quando Mário Soares põe este aspeto de total confluência em causa. Para ele, agora, o 25 de Abril deu-nos liberdade para escolher apenas o que alguns acham ser certo. Escolher fora disso não é aceitável. Parece cair fora do “caminho” do 25 de Abril.

Recordo as palavras de Soares numa intervenção de celebração deste dia, em Leiria, dizendo ter saído de Paris, de comboio para, chegando à fronteira, tentar perceber o que se passava… Recordo também a sua luta contra os que tentaram prender o 25 de Abril a uma ideologia concreta. Ganha essa luta, ele e nós, afirmámos a Liberdade. É na memória desse Mário Soares que encontro compreensão para momentos menos bons, como o agora acontecido.

Apesar de todas as nossas diferenças (políticas, partidárias, e outras de que é melhor não falar) obrigado Dr. Mário Soares. Parte da Liberdade que temos hoje, devemo-la a si. Mesmo com piores resultados práticos, somos senhores do nosso destino!

(texto publicado na edição em papel de 4 de maio de 2012)