Assinar Edições Digitais

Vista direita: Trocas e baldrocas

Após governos PS que consumiram e promoveram o consumo de forma nunca vista, agora, um governo supostamente liberal e personalista elevou a carga fiscal a níveis jamais imaginados (parará por aqui?).

Domingos Carvalho, membro da Assembleia Municipal de Leiria domjcarvalho@gmail.com

Após governos PS que consumiram e promoveram o consumo de forma nunca vista, agora, um governo supostamente liberal e personalista elevou a carga fiscal a níveis jamais imaginados (parará por aqui?).

Inopinadamente soubemos da obrigatoriedade de emissão de fatura para tudo. (Deve ser quase, digo eu. Estão a ver os vendedores de bolos, na praia, a passar fatura?). Para a bica e a pastilha elástica. Isto em nome da equidade fiscal, disseram. Uma equidade fiscal que deveria isentar de pagamento de IMI as empresas do sector imobiliário que têm casas, e são muitas (as casas e as empresas), que não têm a quem vender. Porque para estas empresas estas casas são uma mera mercadoria. Como qualquer mercadoria em qualquer outra atividade. Muitas correm o risco de passar a “monos”… Mas após três anos, se requerida a isenção, estão sujeitas a imposto. Contra a suposta filosofia dos partidos do governo. Defesa da livre iniciativa e do mercado. Será que os princípios que defendem só podem ser aplicados em determinadas condições? Eu acho que não! Papéis trocados, maus resultados.

Não posso deixar de tocar na “mise en scène” ocorrida na CML… Não porque veja qualquer dificuldade mas apenas porque terá tido causas dificilmente entendíveis. Ou o Sr. Presidente da Câmara é mesmo um tirano ou… alguém quer parecer Cyrano! Cá para mim tudo isto não vai passar de tempestade em copo d’água…

(texto publicado na edição em papel de 27 de julho de 2012)