Assinar Edições Digitais
Sociedade

Alcobaça contesta estudo sobre localização do Hospital Oeste Norte

O presidente da autarquia de Alcobaça entregou ao Ministério da Saúde a contestação ao estudo sobre a localização do Hospital Oeste Norte e assegura continuar a bater-se pela escolha de Alfeizerão.

O presidente da autarquia de Alcobaça, Paulo Inácio, entregou ao Ministério da Saúde a contestação ao estudo sobre a localização do Hospital Oeste Norte e assegura continuar a bater-se pela escolha de Alfeizerão.

“Entregámos no Ministério [da Saúde] a nossa resposta sobre a análise do Estudo para a localização do novo Hospital Oeste Norte e vamos lutar até ao último segundo pela candidatura de Alfeizerão” confirmou o presidente da Câmara de Alcobaça, Paulo Inácio.

A localização do novo Hospital Oeste Norte (uma das contrapartidas pela não construção do novo aeroporto de Lisboa na Ota) tem sido disputada entre os concelhos das Caldas da Rainha e Alcobaça.

A ministra da Saúde, Ana Jorge, divulgou a 6 de abril, nas Caldas da Rainha, que o estudo aponta como localização mais favorável uma zona denominada Lavandeira, neste concelho, ou a ampliação do atual hospital da cidade.

O anúncio foi contestado por Paulo Inácio, que considerou “inaceitável para Alcobaça” que um dos critérios do estudo tivesse sido a existência de portagens em Alfeizerão, para excluir esta localização.

Na resposta enviada segunda feira ao Ministério, Paulo Inácio volta a sublinhar que se trata “de uma dupla penalização” para o concelho e contesta ainda a “existência de erros crassos num estudo científico”.

Um deles, exemplifica, “é dizer que o centro geométrico da zona em análise é Valado de Santa Quitéria, sintuando esta localidade no concelho das Caldas da Rainha” quando, corrige o autarca, “é no concelho de Alcobaça”.