Assinar Edições Digitais
Sociedade

“F-16 Falcões e Jaguares” apresentado quinta-feira na Base de Monte Real

Será uma obra de referência para os amantes dos F-16. O livro F-16 Falcões e Jaguares, da autoria de Alexandre Coutinho, André Garcez e Paulo Mata, é apresentado quinta-feira, na Base Aérea de Monte Real.

Será uma obra de referência para os amantes dos F-16. O livro F-16 Falcões e Jaguares, da autoria de Alexandre Coutinho, André Garcez e Paulo Mata, é apresentado quinta-feira, na Base Aérea de Monte Real.

Com apresentação do coronel Eurico Craveiro, Comandante da Base Aérea de Monte Real, a cerimónia tem início marcado para as 17h30.

É um livro bilingue (Português e Inglês), com uma tiragem limitada a 1500 exemplares e teve o apoio da Força Aérea Portuguesa, da OGMA (Indústria Aeronáutica de Portugal) e da Empordef-TI, entre outros.

Além de reportagens fotográficas realizadas em festivais aéreos, no Aerodrómo de Manobra Nº1, em Ovar; nos hangares da OGMA, em Alverca; e na Base Aérea Nº5, em Monte Real – que documentam a preparação das missões efectuadas com estas aeronaves –, a obra conta com os depoimentos de antigos e actuais pilotos portugueses de F-16 e traça o historial dos aparelhos que integram as Esquadras 201 “Falcões” e 301 “Jaguares”, nomeadamente, a mais recente modificação MLU (Mid Life Upgrade).

Recorde-se que o F-16 equipa hoje as forças aéreas de 25 aliados dos Estados Unidos, da Europa ao Extremo-Oriente, passando pelo Golfo Pérsico ou pela América do Sul e, no caso português,  a Força Aérea Portuguesa dispõe de uma esquadra de caças F-16, desde meados de 1994, ao abrigo do programa Peace Atlantis I, que contemplou a venda de 20 aeronaves novas F-16 Block 15 OCU (Operational Capability Upgrade): 17 aparelhos monolugar F-16A e três bilugar F-16B.

Através do programa Peace Atlantis II, Portugal recebeu outras 20 aeronaves (16 monolugar e 4 bilugar) anteriormente usadas pela US Air National Guard, ficando o país responsável pelos custos de modernização (MLU), para as mesmas estarem em condições de participar activamente em operações no contexto da NATO.

Os aparelhos estão confiados às Esquadras 201 “Falcões” e 301 “Jaguares”, ambas sedeadas na Base Aérea Nº 5, em Monte Real.