Assinar Edições Digitais
Sociedade

Santuário de Fátima processa Câmara de Ourém e pede indemnização de 2,3 ME

O Santuário de Fátima interpôs uma acção em tribunal contra a Câmara de Ourém, a exigir uma indemnização de 2,3 milhões de euros, relativos a um caso em que reclama a parcela de um terreno

O Santuário de Fátima interpôs uma acção em tribunal contra a Câmara de Ourém, a exigir uma indemnização de 2,3 milhões de euros, relativos a um caso em que reclama a parcela de um terreno.

Em causa, explicou hoje à Lusa o vereador responsável pelo pelouro de Fátima na Câmara de Ourém, Nazareno do Carmo, está uma parcela de terreno que o Santuário reclama como sua e que a autarquia transformou numa zona pedonal.

“Fizemos uma intervenção em 2002, que ficou concluída em 2004, utilizando fundos comunitários, numa zona que tem sido de utilização pública há mais de 30 anos”, esclareceu Nazareno do Carmo.

A acção, a decorrer no Tribunal Administrativo de Leiria, tem “cerca de 15 dias, é recente”, e a autarquia já elaborou a contestação.

“De facto aquele é um espaço que se pode considerar de logradouro junto a uma construção realizada pelo Santuário, mas não é de sua pertença”, defende o vereador.

Fonte do Santuário de Fátima disse à Lusa que o caso está a ser discutido em tribunal e, por isso, o Santuário “não se pronuncia sobre o assunto”.

Lusa