Assinar Edições Digitais
Sociedade

Rebanhos de cabras vão prevenir fogos e dinamizar economia na Serra de Aire

A Quercus – Associação Nacional de Conservação Nacional da Natureza vai promover o pastoreio de 400 cabras na Serra de Aire para preservar os habitats, dinamizar a economia local e prevenir fogos.

A Quercus – Associação Nacional de Conservação Nacional da Natureza vai promover o pastoreio de 400 cabras na Serra de Aire para preservar os habitats, dinamizar a economia local e prevenir fogos.

O coordenador do projecto e dirigente da Quercus João Paulo Martins disse à agência Lusa que dois rebanhos (200 cabras em cada local de intervenção) deverão ser colocados no terreno no início de 2012, em Fátima (Ourém) e em Pedrógão (Torres Novas).

O projecto, além de preservar os habitats, quer contribuir para a certificação biológica e comercialização de produtos como o cabrito, as plantas aromáticas, medicinais e condimentares – e numa fase posterior o queijo -, revelou João Paulo Martins, acrescentando que poderá “ajudar à criação de uma marca”.

O responsável sublinhou que desta forma será possível “demonstrar que a economia local também ajuda a preservar os habitats locais” e que este tipo de acções, “apesar do abandono verificado ao longo dos anos”, pode também garantir a prevenção de incêndios.

O pastoreio extensivo com cabras de raça serrana cria zonas descontinuadas, menos suscetíveis à propagação de fogos, para além de preservar quatro habitats prioritários: prados rupícolas calcários, arrelvados xerófilos, arrelvados ricos em orquídeas e lajes calcárias.

Em comunicado, a Quercus informou que a monitorização do projecto será acompanhada pelo Centro de Biociências do Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida.

O projeto é comparticipado pelo Programa Life+ da União Europeia.

Lusa