Assinar Edições Digitais
Sociedade

S. Bento está a 15 mil euros de conseguir a ambulância

Numa freguesia serrana e distante como São Bento, todos os minutos são preciosos para assegurar o socorro a quem precisa. É por essa razão que por lá se unem esforços para assegurar uma nova ambulância para o posto de socorro local.

Numa freguesia serrana e distante como São Bento, todos os minutos são preciosos para assegurar o socorro a quem precisa. É por essa razão que por lá se unem esforços para assegurar uma nova ambulância para o posto de socorro local.

Posto local de bombeiros quer encurtar tempo de resposta na chegada ao hospital

Atualmente, faltam 15 mil euros dos 45 mil necessários para adquirir um novo veículo de socorro, que substitua a atual ambulância que já revela sinais de cansaço.

Samuel Costa, membro da Junta local, mas também do posto de socorro e da comissão que, no último ano, tem tentado, por diversos meios, assegurar os recursos para comprar a nova ambulância, acredita que ainda este ano vão conseguir chegar à cifra pretendida: 45 mil euros.

“Já temos 30 mil euros, resultado de diversas atividades, entre festas e peditórios”, explica. Nem a comunidade local, radicada no estrangeiro, escapa a este esforço. Naturais da freguesia a residir nos Estados Unidos da América e no Canadá organizaram festas e canalizaram verbas para este projeto.

O recente posto de socorro, abriu em 2010, implicou um esforço financeiro por parte da Associação Humanitária de Mira de Aire que o equipou e fardou. “Não podíamos estar a sobrecarregar a corporação com a aquisição da ambulância, pelo que decidimos avançar com esta angariação”, explica Samuel Costa.

Com trinta homens, o posto de socorro apoia cerca de oito centenas de pessoas. “E isso é muito bom”, acrescenta.

As iniciativas continuam. Aprender o essencial sobre reanimação cardiopulmonar também ajuda a alcançar o “terço” que falta da nova ambulância. Um curso sobre suporte básico de vida decorre amanhã à tarde em São Bento. As inscrições custam 10 euros. A verba destina-se, claro está, à nova viatura. Que vai, afinal, garantir o suporte básico de vida de uma população.

(notícia publicada na edição de 24 de fevereiro de 2012)

CS