Assinar
Desporto

Leirisport avança com despedimento coletivo de 28 funcionários

Despedimento coletivo justifica-se pela acentuada redução da atividade e por razões estruturais, já que empresa tem uma “organização económico-financeira muito desequilibrada”, diz administração

A empresa municipal Leirisport avançou hoje, quarta-feira, com o despedimento coletivo de 28 trabalhadores.

A informação foi enviada para a comunicação social ao final da tarde e revela que a administração da empresa reuniu hoje com os trabalhadores para lhe comunicar a decisão. “Uma reunião com os 28 trabalhadores que, no âmbito da reestruturação da empresa, serão abrangidos por um processo de despedimento coletivo, o qual garante todas as disposições éticas e legais aplicáveis, de modo a proporcionar aos trabalhadores em causa todos os direitos que lhes assistem. Por outro lado, os critérios de despedimento foram definidos e explicados de modo rigoroso e objetivo”, revela o comunicado.

A medida já era esperada, no âmbito do processo de encerramento que a empresa municipal tem que realizar nos próximos meses.

De igual modo, a redução na gestão do número de equipamentos desportivos, de 18 para cinco, influenciou a “racionalização e otimização de recursos humanos, técnicos e económico-financeiros”.

“Neste contexto, o processo de despedimento coletivo justifica-se pela acentuada redução da atividade da Leirisport, tanto no seu todo, como nos vários setores, departamentos e equipamentos, mas também por razões estruturais, uma vez que a empresa tem uma organização económico-financeira muito desequilibrada, baseada em custos de financiamento e de manutenção muito elevados, bem como em receitas cada vez mais reduzidas face aos investimentos realizados”, acrescenta o documento.

“A dependência financeira da empresa municipal face ao seu acionista único e principal cliente, cuja situação financeira se tem vindo a agravar, devido aos constrangimentos impostos pela Lei dos Compromissos e, sobretudo, à perda de receitas, para a qual concorrem a crise económica e a diminuição dos montantes transferidos do Orçamento do Estado” e “grandes quebras do volume de negócios, originando inevitáveis tensões na tesouraria imediata, dificuldades de pagamento e enormes constrangimentos de recebimento de clientes, tradicionais e novos”, são outros dos motivos apontados.

A Leirisport manterá 31 trabalhadores. As funções desempenhadas pelos 28 agora dispensados, serão realizadas “através de uma organização baseada na flexibilidade e polivalência e, em casos economicamente mais vantajosos, por meio da contratação externa”.

“Embora o futuro da Leirisport enquanto entidade empresarial continue em análise, dentro dos condicionalismos legais em vigor, esta reestruturação permitirá garantir um melhor equilíbrio das contas municipais, bem como a manutenção dos padrões de qualidade oferecidos aos utilizadores individuais e coletivos”, termina a nota divulgada.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.