Assinar Edições Digitais
Cultura

China. Descubra em Leiria o país que é mais do que restaurantes e lojas baratas

Da Ásia, América do Norte e Europa chegam especialistas para explicar a realidade da cultura chinesa. De 21 a 23 de fevereiro, Leiria recebe o VIII Fórum Internacional de Sinologia.

Para lá dos restaurantes ou das “lojas dos 300” que conhecemos em Portugal, há muito mais China. Há um país enorme, rico nos valores, de economia vibrante e ensinamentos apurados ao longo de milhares de anos, prontos a serem partilhados em Leiria, este mês, no Fórum Internacional de Sinologia.

Quem o diz é Ana Maria Amaro, presidente do Instituto Português de Sinologia, que sabe do que fala: viveu 16 anos em Macau e conhece de perto a China, seus habitantes e cultura.

“Queremos desmistificar preconceitos sobre chineses e a cultura chinesa. É muito rica mas muito mal conhecida”, diz a também responsável pelo Fórum, que este ano chega a Leiria por causa da licenciatura do Instituto Politécnico de Leiria. “Faz sentido acontecer onde há a única licenciatura em Estudos Chineses em Portugal”.

A China inspira, por isso, diversas realizações: decorre um ciclo de cinema e há outras atividades que complementam o programa recheado de especialistas em cultura chinesa que o Fórum leva à ESECS.

Ana Maria Amaro defende que a China tem “uma ética fantástica”, recusando a ideia de que lá se explora o trabalho infantil e os trabalhadores. “O seu segredo é só um: trabalharem todos, de manhã à noite, famílias inteiras, incluindo a mulher do dono da loja, que pode ir para o balcão mesmo tendo uma licenciatura. Cá isso não se vê”.

Quanto às notícias de trabalho infantil e exploração laboral, “o que acontece é que o nível de vida e qualidade de vida estão inter-relacio­nados”. No Fórum Internacional de Sinologia pretende-se desmistificar tudo isso: “É gratuito e toda a gente pode ir lá fazer perguntas e pedir esclarecimentos”.

Leiria vai querer saber mais sobre a China? “Não sei. Se calhar as pessoas não se interessam muito”, receia Ana Maria Amaro. Mas num momento em que o gigante asiático é visto como destino apetecível para empresários e trabalhadores, conhecer melhor a cultura chinesa é capaz de não ser má ideia:

“Há um certo entusiasmo entre as pessoas e uma perspetiva de futuro que pode não ser real…”.

Manuel Leiria
manuel.leiria@regiaodeleiria.pt

Programa:

[issuu layout=http%3A%2F%2Fskin.issuu.com%2Fv%2Fcolor%2Flayout.xml backgroundcolor=FFFFFF showflipbtn=true documentid=130219172402-569b3aebc44d4cf3b1e785bc30b371e4 docname=programa_pt_-_final username=jornal_regiao_de_leiria loadinginfotext=Programa%20do%20VIII%20F%C3%B3rum%20Internacional%20de%20Sinologia width=420 height=297 unit=px]