Assinar Edições Digitais
Sociedade

D. José Policarpo morreu ontem de doença cardíaca

D. José Policarpo, patriarca emérito de Lisboa, morreu ontem depois de sofrer um aneurisma da aorta. O funeral realiza-se amanhã, às 16 horas, na Sé de Lisboa.

D. José Policarpo,  patriarca emérito de Lisboa, morreu ontem depois de sofrer um aneurisma da aorta. O funeral realiza-se amanhã, às 16 horas, na Sé de Lisboa, seguindo para o Panteão dos Patriarcas, em S. Vicente de Fora.

DSC_0059Segundo o jornal Público, D. José Policarpo participava num retiro de bispos, em Fátima, quando se sentiu mal e foi de emergência para Lisboa. Morreu na sala de operações, durante a intervenção cirúrgica de emergência a que foi submetido no Hospital do SAMS.

José da Cruz Policarpo, de 78 anos, nas­ceu em Alvorninha, concelho de Caldas da Rainha, a 26 de fevereiro de 1936. Aos 25 anos, no dia da Assunção de Nossa Senhora, é ordenado sacerdote. A orde­nação episcopal ocorre em junho de 1978, tendo sido a partir desse an,o e até 1997, bispo auxiliar do Patriarcado Lisboa.

A 27 de março de 1997 é nomeado arcebispo coadjutor do Patriarca de Lisboa com direito de sucessão. Um ano depois torna-se o 16º Patriarca de Lisboa, cargo que ocupou até 18 de maio de 2013.

Em 2001 foi nomeado cardeal presbítero da Santa Igreja Romana com o título de “Santo António dos Portugueses no Campo de Marte”. Foi ainda membro do Conselho Pontifício para a Cultura e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa.

Magno Chanceler da Universidade Católica Portuguesa onde leccionou, foi director da Faculdade de Teologia, membro do Conselho Superior e reitor,  sócio-honorário da Academia Portuguesa de História e autor de diversos livros e de estudos sobre temas de Teologia, de Pastoral e de Sociologia.