Assinar Edições Digitais
Sociedade

Milhões ajudam Berlengas a preservar cagarras e airos

Quase 1,4 milhões de euros vão ser canalizados para assegurar um projeto de recuperação ambiental no arquipélago das Berlengas.

Quase 1,4 milhões de euros vão ser canalizados para assegurar um projeto de recuperação ambiental no arquipélago das Berlengas.

berlengasDenominado de LIFE+Berlenga, decorre nos próximos quatro anos com o “objetivo tornar o arquipélago das Berlengas num exemplo de turismo sustentável e desenvolvimento económico responsável”, adianta a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) em comunicado.
Entre outras ações, implica a realização de ações de mitigação de capturas acidentais de aves marinhas em artes de pesca, bem como de controlo das espécies de mamíferos e plantas invasoras introduzidas no arquipélago. Uma situação que tem ameaçado as espécies de aves marinhas mais emblemáticas do arquipélago, como são exemplo o airo, a cagarra e o roque-de-castro.

Está igualmente prevista uma campanha de divulgação, utilizando as mais recentes tecnologias para promover as Berlengas como “um destino europeu de topo”.

O projeto arrancou dia 1 de junho e é coordenado pela SPEA envolvendo a Câmara de Peniche e a Universidade Nova de Lisboa. Esta ação implica “a avaliação da capacidade de carga das Berlengas e serão dadas recomendações para a exploração sustentável dos seus recursos naturais”, refere a SPEA.

Joana Andrade, coordenadora do Programa Marinho da SPEA, promete “dar a visibilidade ao arquipélago que ele merece, destacando sempre a sua importância do ponto de vista da biodiversidade”.

(Notícia publicada na edição de 5 de junho de 2014)