Assinar Edições Digitais
Legislativas 2019

PAN pede “confiança” aos leirienses e quer impedir maioria absoluta do PS

“Defender o planeta para nós e para os nossos filhos” é o que Rui Prudêncio, cabeça de lista do PAN por Leiria, diz a um casal que, com estranheza no olhar, recebe um folheto e vê passar a comitiva do partido pela cidade.

André Silva, líder do PAN, vai à frente e nenhum leiriense se escapa à propaganda de um dos “partidos pequenos”, que trouxe a campanha até Leiria na passada terça-feira.

No jardim Luís de Camões, o líder do partido entrega folhetos a um grupo de jovens sentado num banco. A dúvida fica no ar: terão idade suficiente para votar? É assim que André Silva introduz uma das propostas do PAN, de “reduzir o direito de voto para os 16 anos”, pelo que, de miúdos a graúdos, o líder do partido inclui todos na passagem pela cidade de Leiria.

Do jardim para o Marachão e depois para a avenida Heróis de Angola, alguns dos olhares entregues ao PAN são de estranheza. No entanto, quase a chegar ao Maringá, André Silva é recebido calorosamente por um senhor reformado que por ali passava. “Conheço-o da televisão”, atira. A comitiva pára e o senhor acrescenta: “vejo que está tudo mal neste país. Ainda não tivemos governo que prestasse. Nenhum olha para os que precisam e que têm necessidade”.

O homem queixa-se do valor das pensões e da diferença de rendimentos entre as famílias portuguesas, onde “uns têm demasiado e outros têm pouco”.
André Silva não contesta e admite que “é preciso distribuir melhor o dinheiro” e “subir as pensões”.

Sobre o voto no próximo domingo, o reformado ainda não tem partido favorito mas adianta que o PS e o PSD não serão uma opção.
“O Rui Rio não vai ganhar as eleições e nós temos de impedir o António Costa de ganhar maioria absoluta”, responde o líder do PAN. André Silva explica que é “´preciso votar num dos pequenos para fazer avançar alguma coisa”, caso contrário, a política praticada continuará a ser “a mesma”.

Aos leirienses, esclarece que é “importante dar confiança ao PAN para poder fazer mais”. Com apenas um deputado eleito na Assembleia da República, no mandato corrente foi possível “fazer algumas coisas”, mas “não tudo, nem pouco mais ou menos”. O deputado assume que o PAN “precisa de mais força” para poder levar a bom porto as propostas.

A comitiva esteve ainda na Bajouca (Leiria), para visitar o local onde está previsto um furo de prospeção de gás natural, com o líder do PAN a lembrar que há quatro anos, que luta “pelo fim das concessões de prospeção de hidrocarbonetos” no país.

Joana Magalhães
Jornalista
joana.i.magalhães@regiaodeleiria.pt