A população da Bajouca e freguesias vizinhas saem à rua no domingo, dia 26, para protestar contra a prospeção de hidrocarbonetos naquela freguesia do concelho de Leiria.

O evento, dinamizado pela Junta de Freguesia, no âmbito do movimento Bajouca Contra a Exploração de Gás Natural, está agendado para as 14h30 com concentração em frente à sede da Junta de Freguesia e está aberto à participação de todos os interessados.

A Marcha contra o Gás foi uma das iniciativas aprovadas, em novembro passado, na reunião extraordinária da Assembleia de Freguesia convocada para debater ações de protesto contra o projeto da Australis & Oil.

Ao REGIÃO DE LEIRIA, o presidente da junta, Pedro Pedrosa, justificou então a iniciativa com a necessidade de reforçar a posição da população antes da conclusão do Estudo de Impacto Ambiental, que estará para breve. “Achamos que era agora ou já poderá ser tarde. Está na hora de agitarmos isto outra vez para fazer pressão e tentar que a empresa recue” nas suas intenções”, referiu.

Nessa mesma reunião foi lançada uma petição para exigir o cancelamento do contrato de concessão da área de Pombal celebrado entre o Governo e a empresa, e que, segundo Pedro Pedrosa, já recolheu mais de mil assinaturas. Um número ainda aquém das 4.000 necessárias para ser discutida na Assembleia da República.

Ainda assim, o autarca não desarma e espera conseguir mais subscritores a curto prazo tendo o abaixo-assinado sido distribuído a todas as Juntas de Freguesia do concelho.

A população foi ainda convidada a colocar lonas à porta de casa e autocolantes nos carros com o slogan “Amo a Bajouca – Sou contra a exploração de gás natural”. Até domingo, a Junta espera um aumento de adesão para conseguir uma centena de lonas de protesto ao longo do trajeto da manifestação até ao local previsto para as prospeções, em Bouça de Lá.

O programa prevê ainda intervenções de autarcas e responsáveis de associações e movimentos ambientalistas, bem como a criação de um mural com fitas onde os participantes poderão deixar mensagens.

MR

Ações de luta dinamizadas pela Junta de Freguesia  mereceram a aprovação unânime da Assembleia de Freguesia