A situação não está fácil para a hotelaria de Fátima, que tradicionalmente neste mês de março começava a preparar-se para o início da época alta na cidade religiosa.

Muitos dos hotéis que encerraram no inverno não chegaram a abrir, outros fecharam portas dados os cancelamentos de reservas e a ausência de clientes. A Páscoa já está comprometida e a tradicional peregrinação do 13 de maio terá também repercurssões.

Os dados foram avançados ao REGIÃO DE LEIRIA pela presidente da Associação Empresarial Ourém Fátima (ACISO), Purificação Reis, admitindo que o cenário resultante da pandemia da Covid-19 está a colocar o setor do turismo numa situação “muito complicada”.

“Há hotéis abertos que estão a dar resposta às reservas não canceladas, mas que equacionam fechar”, adiantou. Segundo os dados de que dispõe, mais de 50% dos hotéis de Fátima estão encerrados neste momento.

Sobre o impacto para maio, a responsável preferiu não adiantar previsões, aguardando-se o evoluir da situação no país.

O mesmo cenário foi traçado pelo presidente da junta de Fátima, Humberto Silva, dando os parabéns aos fatimenses por estarem a cumprir as medidas de prevenção da Direção-Geral de Saúde. Os hotéis e lojas estão a fechar por tempo indeterminado, mas alguns restaurantes andam a apostar na vertente take away, como forma de manter o negócio, adiantou.

CG