Portugal contabilizou mais 16 mortes devido a complicações associadas à infeção provocada pelo novo coronavírus. No total, soma 311 óbitos, a maioria entre doentes com mais de 70 anos.

Segundo informou António Sales, secretário de Estado da Saúde, na conferência diária realizada com a Direção-Geral da Saúde (DGS), a taxa de letalidade em Portugal ronda os 2,7% , subindo para 10,5% entre os doentes com mais de 70 anos.

Já os casos de recuperação quase que duplicaram, totalizando 140, mais 65 do que ontem, de acordo com o boletim da situação epidemiológica divulgado hoje, segunda-feira, pela DSG.

O maior número de óbitos ocorreu na região Norte (168), seguindo-se a zona  Centro (76), a de Lisboa e Vale do Tejo (60) e o Algarve (7).

Desde o início da pandemia, a DGS registou 91.794 casos suspeitos, tendo-se confirmado resultado positivo em 11.730 casos (12,8%). Aguardam ainda 4.500 pessoas.

Número de casos confirmados e de óbitos em Portugal

Fonte: Relatório diário da Direção-Geral da Saúde – 6 de abril de 2020

A DGS revela ainda que estão internados 1.99 doentes devido a complicações da doença (mais 15 do que ontem), 270 dos quais em unidades de cuidados intensivos (mais três).

A maioria das pessoas infetadas (10.180) está contudo a recuperar em casa, com sintomas ligeiros ou moderados.

As autoridades de saúde têm ainda sob vigilância 23.470 contactos.

Com mais do dobro dos casos confirmados da zona da Grande Lisboa e quatro vezes mais do que os da região Centro, o Norte do país continua a braço com o maior número de infeções pelo novo coronavírus: 6.706 no total. A região de Lisboa e Vale do Tejo contabiliza por sua vez 3.070 casos acumulados, a zona Centro 1.521, o Algarve 229, o Alentejo 84, os Açores 68 e a Madeira 52.

 A DGS continua no seu relatório diário a dar conta dos casos importados, que se cifram em 623.