Eulália Crespo cantou à janela da casa, no Souto da Carpalhosa, “o que tem a dizer ao mundo”. É assim que Tiago Pereira, fundador de A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria, explica um dos vídeos que chegou da região de Leiria para publicação no projeto paralelo A Música Portuguesa a Gravar-se a Ela Própria.

Lançado em tempos de pandemia para contrariar a quarentena do realizador em Serpins, na Lousã, onde vive atualmente, A Música Portuguesa a Gravar-se a Ela Própria sentiu as palavras desta mulher do Souto da Carpalhosa.

“O que mais me custa é os velhinhos estarem longe e não os poder gravar. Penso nos que morrem e no que vai com eles. Mas, de repente, o universo equilibra-se e eis que chega o vídeo de uma velhinha com uma mensagem. Chama-se Eulália André Rodrigues Lavos Crespo, tem 82 anos e cantou à janela, em Souto da Carpalhosa, Leiria, o que tem a dizer ao mundo”, explicou Tiago Pereira, sobre a gravação que lhe chegou.

A Música Portuguesa a Gravar-se a Ela Própria surgiu em tempos de pandemia de Covid-19. Durante este período de confinamento, o realizador convida músicos de todo o país a gravarem interpretações, que depois lhe são enviadas para divulgação, “numa espécie de confessionário da música portuguesa”. Já há mais de 60 vídeos publicados aqui.

A mensagem cantada e enviada por Eulália Lavos Crespo:

Mensagem para o mundoÉ preciso repensar
No que estamos a viver
O que todos se interrogam
No que é preciso fazer

Nestas horas tão difíceis
Que nos dá em que pensar
Só lhes peço por favor
Não saiam do vosso lar

É muito triste
Tão grande separação
Dos nossos filhos e netos
Que temos no coração

Tenham coragem
Que tudo há de passar
Com a ajuda do Senhor
Que não nos vai abandonar