Assinar Edições Digitais
Leiria

Valentina terá sido morta em contexto de violência e não de acidente

Polícia Judiciária acredita que a morte da menina terá acontecido na habitação do pai, durante o dia de quarta-feira. As causa do homicídio ainda estão a ser apuradas.

ferenand

O pai e a madrasta de Valentina Fonseca, a criança de 9 anos que estava desaparecida desde quinta-feira em Atouguia da Baleia, concelho de Peniche, estão fortemente indiciados da prática dos crimes de homicídio e ocultação de cadáver, entre outros, confirmou esta tarde o coordenador do Departamento de Investigação Criminal de Leiria da Polícia Judiciária, Fernando Jordão, em conferência de imprensa.

Os dois suspeitos, o pai de 32 anos e a companheira de 38, vão agora ser presentes a juiz e só depois serão conhecidas as medidas de coação que lhes vão ser aplicadas. O coordenador da PJ adiantou ainda não existirem mais suspeitos.

A Polícia Judiciária acredita que a morte da menina terá acontecido na habitação do pai, durante o dia de quarta-feira, “num contexto de violência e não de acidente”, cujos contornos estão ainda a ser apurados. Fernando Jordão não adiantou informações em relação à causa da morte.

O corpo de Valentina foi encontrado este domingo de manhã, na Serra d’El Rei, tapado por arbustos, num descampado perto de um eucaliptal. A descoberta do cadáver, referiu ainda Fernando Jordão, resultou “da análise dos interrogatórios, das entrevistas e das inquirições feitas a várias pessoas”.

Segundo Diogo Morgado, comandante do Destacamento Territorial de Caldas da Rainha da GNR, estiveram envolvidos nas buscas da criança desaparecida mais de 600 elementos que percorreram uma área de quase quatro mil hectares, “palmilhando-os mais do que uma vez”.

Neste momento, ainda decorrem exames ao cadáver da criança.