Das 23 ocorrências registadas na Marinha Grande, 18 reportam-se a quedas de árvores
Foto: Bombeiros Voluntários da Marinha Grande

Foram 74 as ocorrências registadas pelos serviços de Proteção Civil no concelho de Leiria, entre as zero horas de sexta-feira e as 10 horas deste domingo. Representaram cerca de 40% do total de 192 ocorrências sinalizadas em todo o distrito na sequência da passagem do ciclone subtropical Alpha.

Entre os mais fustigados seguem-se os concelhos da Marinha Grande, com 23 ocorrências, Alcobaça (21), Peniche (19) e Pombal (17).

Com menos de dez ocorrências, surgem Figueiró dos Vinhos (7), Ansião (6), Alvaiázere e Caldas da Rainha (5 cada), Nazaré e Pedrógão Grande (4 cada), Porto de Mós (3), Batalha e Castanheira de Pera (2 cada).

As quedas de árvores (114 no total) foram as que mobilizaram mais meios (381 operacionais e 131 viaturas) em todo o distrito, havendo ainda registo de 47 quedas de estruturas, 15 inundações, 13 limpezas de via e três movimentos de terra.

No concelho de Leiria foram contabilizadas 41 quedas de árvores e 20 de estruturas, sete inundações, três movimentos de massa e três limpezas de vias.

Segundo o balanço apurado hoje junto do Comando Distrital de Proteção Civil, as operações de corte, remoção de árvores e estruturas e limpezas, que ainda prosseguem, já envolveram 622 operacionais e 224 viaturas.

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) dava ontem conta de que o distrito de Leiria era até ontem de manhã, sábado, o mais afetado a nível nacional, depois de contabilizadas 143 ocorrências entre as zero horas de sexta-feira e as 8 horas de sábado.

Leiria sem iluminação pública

Várias localidades do concelho ficaram sem luz na sexta-feira devido à queda de redes de fornecimento de energia elétrica e danos em PT, situações que terão entretanto ficado resolvidas.

Já ontem à noite sábado, parte do centro da cidade ficou sem iluminação pública, nomeadamente nas zonas do jardim Luís de Camões, largo 5 de Outubro, largo do Papa e Marachão.

O REGIÃO DE LEIRIA contactou a EDP para obter mais esclarecimentos, mas ainda não obteve resposta.