O Município de Alvaiázere informou hoje que 30 utentes e dez funcionários da Associação da Casa do Povo de Maçãs de Dona Maria testaram positivo à Covid-19, registando-se ainda um caso inconclusivo.

Numa nota de imprensa, a Câmara de Alvaiázere revelou que efetuou cerca de 150 testes aos utentes, funcionários e dirigentes da Associação da Casa do Povo de Maçãs de Dona Maria.

Dos 76 utentes, 30 estão positivos, assim como dez funcionários, de um total de 73. O caso inconclusivo irá repetir o teste.

Embora a instituição possua duas Estruturas Residenciais para Idosos, os casos estão todos concentrados em apenas uma, denominada localmente por “Lar I”, que acolhe 48 utentes, explicou ainda a nota, salientando que os idosos institucionalizados estão “todos assintomáticos”.

A autarquia liderada por Célia Marques (PSD) referiu que foram ativadas, pelo Instituto da Segurança Social, as Brigadas de Intervenção Rápida da Cruz Vermelha Portuguesa, que vão reforçar a prestação de cuidados de enfermagem.

“Neste momento, a associação consegue assegurar o normal funcionamento das suas valências, com o seu quadro de pessoal. Contudo, em caso de necessidade, as Brigadas de Intervenção Rápida da Cruz Vermelha Portuguesa procederão, também, ao reforço do pessoal”, lê-se no comunicado.

Tendo em conta as características das instalações e a possibilidade técnica de instituir circuitos que garantam o isolamento dos utentes infetados, estes permanecerão no edifício, que será objeto de desinfeção agendada para este sábado.

A direção técnica da Associação da Casa do Povo de Maçãs de Dona Maria está a proceder ao contacto com as famílias de todos os utentes, com o intuito de manter os familiares devidamente informados.

A autoridade local de saúde pública encontra-se também a proceder ao rastreio de casos junto de coabitantes dos funcionários infetados por covid-19, de acordo com os procedimentos gerais instituídos, que envolvem o isolamento profilático e o rastreio para deteção do novo coronavírus.

A presidente da Câmara de Alvaiázere, Célia Marques (PSD), afirmou à Lusa, na quinta-feira, que a infeção pelo novo coronavírus no lar foi conhecida após um utente, “com outros problemas de saúde, ter sido internado”.

Depois ter sido testado na unidade hospitalar foi-lhe detetada a infeção pelo SARS-CoV-2, levando a que se realizasse o rastreio a todos os utentes e funcionários do lar.

Em outra situação detetada no concelho, dois alunos coabitantes que frequentam turmas diferentes da Escola 2,3 CEB/S Dr. Manuel Ribeiro Ferreira também foram diagnosticados como estando infetados com o novo coronavírus.

Os alunos das duas turmas onde os casos foram detetados foram colocados em isolamento profilático, decorrendo as atividades letivas através dos canais digitais previstos pela escola.

“Relativamente ao foco verificado na Escola Dr. Manuel Ribeiro Ferreira, não existe qualquer informação a acrescentar às informações anteriormente veiculadas, estando prevista a realização do rastreio de alunos na próxima segunda-feira, no quartel dos Bombeiros Voluntários de Alvaiázere”, refere ainda a nota.

A Câmara de Alvaiázere informa que “mantém toda a estrutura montada desde o início da pandemia para apoio à comunidade, nomeadamente, meios logísticos, equipamentos de proteção para cedência, habitações disponíveis para isolamento profilático ou em caso de infeção, habitações para profissionais de saúde e uma base sanitária instalada no pavilhão desportivo”.

Com Lusa