A União de Freguesias de Marrazes e Barosa vai exibir, através das redes sociais, vídeos com 54 segundos como forma de prevenir a violência doméstica.

A campanha vai ser lançada na segunda semana de outubro e baseia-se no tempo que as mulheres têm para si ao longo de 24 horas: 54 minutos, de acordo com o estudo “As mulheres em Portugal, hoje”, realizado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos.

O repto foi assim lançado a 54 pessoas, coletivas e instituições do campo artístico (essencialmente da área de abrangência da Rede Cultura 2027), da intervenção social e “outros de destaque e relevo na comunidade”, adianta Catarina Dias.

Num vídeo de exatamente 54 segundos, os autores vão ter de se expressar sobre a violência contra as mulheres ou contra a violência doméstica. Estes vídeos serão exibidos todos os dias, de forma ininterrupta, durante 54 dias.

“O 54′ tem como objetivos principais promover a minimização e eliminação de comportamentos violentos e de representações e estereótipos subjacentes à violência contra as mulheres e promover mudanças de atitudes e comportamentos com vista à valorização do respeito e igualdade”, explica a secretária da Junta de Marrazes e responsável pelo projeto, que tem o apoio do Município de Leiria.

Catarina Dias acrescentou que, estando em harmonia com a Estratégia Nacional para a Igualdade e a Não Discriminação 2018-2030 ‘Portugal + Igual’, este projeto “pretende contribuir como medida de resposta ao problema de prevalência de situações de violência nas relações de intimidade identificado no Diagnóstico Social do Concelho de Leiria”.

Segundo revelou, aquele documento evidencia um “significativo aumento de crimes de violência doméstica verificados pelas forças de segurança, conforme registado pelo Conselho Municipal de Segurança”.

De acordo com os dados disponibilizados pela PSP, foram registadas 153 ocorrências de violência doméstica no concelho de Leiria.

À semelhança do panorama nacional, 90,10% das situações referem-se a vítimas do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 25 e os 54 anos (72,6%), que se encontram numa relação de conjugalidade ou equiparada com a pessoa agressora (52,2%), refere o Diagnóstico Social do Concelho de Leiria.

O mesmo documento informa que o Centro de Atendimento às Vítimas de Violência Doméstica do Distrito de Leiria, desde o início da sua atividade (fevereiro de 2007), regista, em média, 200 casos novos por ano.

“No âmbito do projeto, vamos também desenvolver ações de sensibilização dirigidas a crianças e jovens de escolas da nossa União das Freguesias e uma ação de formação dirigida a técnicos e comunidade”, referiu ainda Catarina Dias.

Ao longo do mês, os cidadãos poderão ser surpreendidos com inesperadas ações e performances como forma de sensibilização para a problemática.