Assinar Edições Digitais


Covid-19

Covid-19: Surtos em lares de Alburitel e Santa Eufémia aumentam número de vítimas mortais na região

Em Fátima foi identicado um novo surto, no Centro de Apoio a Deficientes Profundos, com 30 pessoas infetadas, entre utentes e funcionários.

Dois utentes do Lar Residencial Abrigo Nossa Senhora da Ajuda, em Alburitel, concelho de Ourém, faleceram ontem, dia 16, depois de terem testado positivo à Covid-19. 

Na última semana, foi detetado um surto com 47 casos de SARS-CoV-2 naquele lar privado, com 35 utentes e 12 funcionários a testarem positivo.

Uma das utentes foi hospitalizada, no dia em que o surto foi identificado, por necessidade de maiores cuidados de saúde, e acabou por falecer no mesmo dia.

Os dois novos casos de óbito associados à Covid-19 confirmados no dia de ontem, referem-se a pessoas idosas com “comorbilidades cardíacas e pulmonares que, após o quinto dia da doença Covid-19, tiveram um agravamento súbito dos sintomas e necessidade de cuidados hospitalares, tendo falecido no hospital”, realça a delegada de Saúde de Ourém.

No mesmo lar, uma outra pessoa, com “várias patologias”, foi internada e foram detetados mais “dois casos positivos entre colaboradoras da instituição que desenvolveram sintomas ligeiros da doença”.

O total de casos identificados neste surto é agora de 49, estando apenas um colaborador e dois utentes com situação negativa face ao teste.

Lar em Santa Eufémia confirma duas mortes

Um outro surto detetado no início do mês no lar Eira da Torre, em Santa Eufémia, concelho de Leiria, vitimou entretanto dois utentes, de 94 e 95 anos.

Há 20 casos positivos confirmados até ao momento, entre os 56 utentes, e mais quatro entre os funcionários. Em declarações ao Jornal de Leiria, a diretora técnica, Vanessa Póvoa, considera que a instituição vive “um pesadelo” e o número de casos pode aumentar, após novos testes que estão a ser realizados.

Apesar das várias tentativas, o REGIÃO DE LEIRIA não conseguiu, até ao momento, obter esclarecimentos junto da instituição de apoio à terceira idade da freguesia de Santa Eufémia e Boa Vista.

O lar recebeu hoje uma ação de desinfectação e a situação está a ser acompanhada pelas autoridades de saúde pública.

Estes dados vão aumentar o número total de vítimas mortais confirmadas na região, nos próximos dias. Segundo o balanço das autoridades de saúde, estavam hoje confirmados 76 óbitos, não estando ainda incluídos as duas mortes referentes aos utentes de Alburitel.

Também os resultados dos novos testes a utentes e funcionários destas instituições poderão, nos próximos dias, fazer crescer o número de casos confirmados na região.

Ao dia de hoje estão confirmados 3.885 casos positivos, dos quais 1.272 se encontram ativos.

Centro João Paulo II com 30 infetados

Esta terça-feira, dia 17, foi ainda conhecido um surto do novo coronavírus no Centro de Apoio a Deficientes Profundos João Paulo II, em Fátima, concelho de Ourém, com 30 pessoas infetadas, entre utentes e funcionários.

“Recebemos a semana passada o alerta de dois casos positivos no Centro de Apoio a Deficientes e iniciámos o rastreio na instituição”, explicou Ana San-Bento, delegada de saúde do Agrupamento de Centros de Saúde do Médio Tejo, à agência Lusa.

Segundo a médica, “numa primeira fase foram testados todos os colaboradores e utentes desse piso, e desse rastreio identificámos 28 casos positivos, dos quais 13 são funcionários”.

“No total, temos 30 casos positivos, dos quais 13 são funcionários”, adiantou, referindo que na segunda-feira “foram testados os restantes colaboradores, aguardando-se os resultados”.

Ana San-Bento informou que “também os utentes residentes noutras partes da instituição serão testados nos próximos dias”, salientando que “apenas um utente necessitou de ser transferido para uma unidade hospitalar”.

A delegada de saúde esclareceu que a instituição já ativou o seu plano de contingência e, “como está organizada por módulos, facilita o combate à propagação” da doença.

“Os casos positivos vão ser colocados num dos módulos, facilitando o seu isolamento”, declarou Ana San-Bento, realçando que a situação está a ser acompanhada “em articulação com a Proteção Civil e Segurança Social”.

O Centro de Apoio a Deficientes Profundos João Paulo II é gerido pela União das Misericórdias Portuguesas (UMP). Criado em 1989, “tem capacidade para acolher 192 pessoas com idades entre os 3 e os 65 anos” e a sua equipa técnica é composta por 212 pessoas, segundo o ‘site’ da UMP.

Com Lucília Oliveira e Lusa