O aumento crescente de animais errantes no concelho obrigou a Câmara de Leiria a ampliar o número de celas e a criar novas zonas de atendimento ao público no canil municipal. As obras decorreram em duas fases e representaram um investimento de 48.435,37 euros.

Num primeiro momento, ainda no início de 2019, foram criadas uma área de gatil e uma zona de atendimento ao público para o serviço médico-veterinário, avança ao REGIÃO DE LEIRIA a vereadora responsável pela proteção e saúde animal, Ana Esperança.

Foi ainda melhorado o espaço do canil e criada uma zona de higienização de animais. A obra na unidade situada na Guimarota, em Leiria, veio “tornar possível a resposta a situações com felinos” e melhorar as condições de trabalho dos funcionários, nomeadamente no atendimento médico-veterinário. Esta fase custou 24.639,50 euros e foi adjudicada à empresa COFRAL – Construções Francisco Ribeiro, de Leiria.

Já na segunda fase, que está ainda a decorrer, está a ser aumentado o número de celas. A vereadora da Câmara de Leiria explica que “são inúmeros os pedidos de recolha de felídeos e canídeos” e “muitos deles sem a resposta no tempo adequado”.

Os trabalhos começaram a 9 de outubro e encontram-se na fase de acabamentos, “devendo estar terminados na próxima semana”. Esta intervenção custou mais 23.795,87 euros e está entregue à mesma empresa de Leiria.

Ana Esperança admite que o problema do aumento de animais errantes “não se resolve com a criação de mais jaulas”, mas esclarece que as melhorias vão ainda ajudar na implementação de programas municipais, como o Projeto de Regulamento Municipal do Regime Especial de Esterilização de Animais de Companhia – Canídeos e Felídeos.

Atualmente, esclarece a vereadora, o canil municipal tem capacidade para 30 a 60 animais, dependendo do porte e do comportamento.

Centro de Recolha Oficial continua à espera

Está em fase de elaboração do projeto o novo Centro de Recolha Oficial de Animais (CROA) de Leiria, pelo que ainda não há previsão para o início da obra. A Câmara de Leiria anunciou em dezembro de 2018 a escritura de aquisição de um terreno – que custou ao município 53.500 euros – de uma antiga suinicultura na zona da Charneca, Boa Vista (freguesia de Santa Eufémia e Boa Vista).

A vereadora não adianta pormentores sobre o novo CROA, nomeadamente número de celas e capacidade de lotação. No entanto, prevê-se a instalação de uma maternidade, sala para quarentena, enfermaria, gabinetes veterinários e salas para cirurgias, bem como espaços para higienização de animais, apoio administrativo e armazém.

Questionada pelo REGIÃO DE LEIRIA, Ana Esperança não esclarece se as atuais instalações do canil de Leiria continuarão em funcionamento depois da abertura do novo CROA.