Assinar


Sociedade

Morreu o empresário António Bastos

Condenado por homicídio, António Bastos terá saído do país em 2011. Foi detido em 2016, na Gâmbia.

António Bastos tinha 67 anos. Foto: Joaquim Dâmaso

O empresário e ex-administrador da SAD da União de Leiria António Cerejo Bastos faleceu ontem, aos 67 anos.

A informação foi partilhada pela União Desportiva de Leiria, onde o empresário natural da Batalha desempenhou funções directivas no clube de 1997 a 2005, enquanto vice-presidente da Direcção.

Entre 1999 e 2001, foi também administrador da extinta União de Leiria, Futebol, SAD, sendo um dos representantes do clube naquela sociedade anónima desportiva, recorda o clube, numa nota de pesar partilhada na página oficial do clube.

António Cerejo Bastos estava fora do país desde dezembro de 2011, quando fugiu à justiça portuguesa, depois de condenado a 13 anos de prisão por homicídio.

A condenação diz respeito a um crime ocorrido em 2009, quando foi alertado por um funcionário, de um furto na sua empresa, Madiver. O empresário, munido de uma espingarda caçadeira, deslocou-se para o local onde já se encontravam quatro militares da GNR, mas acabou por disparar sobre o indivíduo, quando este “caminhava sem oferecer resistência”, agarrado pelo braço por um militar.

António Bastos, que se considerava inocente e estava em prisão domiciliária, na Figueira da Foz, aguardando, com pulseira electrónica, a decisão do Supremo Tribunal de Justiça sobre um recurso da condenação, acabou por fugir do país.

Em 2013, o Dubai era um dos locais apontados como da sua eventual localização.

Esteve, no entanto, em paradeiro desconhecido até fevereiro de 2016 quando foi detido em Bissau, capital da Guiné-Bissau, após apresentar um “documento de identificação falso”.

Durante as diligências em Bissau, terá simulado uma indisposição para sair de uma audição em tribunal para o hospital, e aproveitou o momento para nova fuga, desta vez com destino à Gâmbia, onde acabaria por ser detido dias depois.

Seria ainda naquele país africano que o empresário estava e com o qual Portugal não tem acordo de extradição.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.