Assinar
Autárquicas 2021

PSD da Batalha “aposta” na vitória contra “regresso ao passado” e divulga sondagem

Candidatura liderada por Paulo Batista Santos apresentou esta sexta-feira os elementos da equipa concorrente à Câmara

A candidatura do PSD à Câmara da Batalha, liderada por Paulo Batista Santos, pretende manter cinco dos sete mandatos na vereação nas próximas autárquicas, apostando numa nova equipa, e reforçar a maioria de eleitos na assembleia municipal e assembleias de freguesia.

Alertando para o facto de que “não é tempo para aventuras ou de regresso ao passado”, numa clara referência à candidatura do movimento independente “Batalha é de todos”, encabeçado por Raul Castro, ex-presidente do município batalhense, o PSD confirmou esta sexta-feira a composição das listas candidatas aos vários órgãos autárquicos do concelho.

 “O PSD apresenta uma equipa de confiança, renovada e com experiência, fatores essenciais para enfrentar a exigência do próximo mandato autárquico”, refere André Loureiro, atual vereador e presidente da concelhia do PSD, em comunicado, reiterando que “o tempo que vivemos não se compadece com aventuras ou opções do passado”.

“São fundamentais lideranças fortes e com competência, para aproveitar a nível municipal os fundos do Plano de Resiliência e Recuperação e assegurar a continuidade dos projetos de apoio social, no domínio da saúde e de promoção da economia local”, acrescenta, convicto de que “o atual presidente da Câmara, Paulo Batista Santos, é a pessoa melhor preparada para liderar um projeto seguro para o concelho da Batalha”.  

Além de André Loureiro, que volta a integrar a equipa do PSD como número dois, concorrem para o terceiro e quarto lugares da vereação Ana Rita Silva (independente), economista e natural da Batalha, e Nuno Almeida, engenheiro civil e residente em São Mamede. Integram ainda a lista à Câmara Luciano Gonçalves (independente), André Sousa, Luís Dias (independente), Cecília Gomes, Rita Patrocínio, Cristóvão Oliveira (independente), Vanda Patricia e Liliana Moniz (independente), atuais vereadoras.

A lista do PSD à Assembleia Municipal é encabeçada por Alfredo Matos, e as candidaturas às Assembleias de Freguesia por Rosa Abraul (Batalha), Cesário Santos (Golpilheira), Carlos Fiúza (Reguengo do Fetal) e Marco Vieira (São Mamede).

João Santos, vice-presidente da JSD nacional, Paulo Batista Santos, atual presidente e candidato à Câmara da Batalha, e Rui Rocha, presidente da Comissão Política Distrital do PSD Foto: PSD

Embora considere haver “excelentes indicações que apontam para uma vitória clara” do PSD na Batalha, André Loureiro refere não haver em política “vitórias antecipadas” e que as candidaturas do PSD, “mais do que responder aos ataques e críticas absurdas dos adversários, devem orientar os seus esforços para cumprir com os objetivos apresentados aos batalhenses”.

Baseia a sua convicção numa vitória de Paulo Batista Santos numa sondagem encomendada pela distrital de Leiria do PSD e publicada na ERC – Entidade Reguladora para a Comunicação Social, segundo a qual o candidato social-democrata “conseguiria uma vitória com maioria folgada” se as eleições tivessem decorrido em abril aquando da realização dos inquéritos (entre os dias 15 e 23).

Os resultados à pergunta “Imagine agora que as eleições seriam no próximo domingo, em qual dos [três] candidatos votaria?” indicam que Paulo Batista Santos recolheria 35,2% das intenções de voto, Raul Castro (independente) 15,6% e Horácio Moita Francisco, do CDS-PP, 1,6%. Entre os restantes 47,6%, 1,2% votaria branco ou nulo, 26% dos inquiridos disseram não saber e 20,4% não responderam.

Para esta sondagem, realizada por telefone pela Multidados – Consultoria e Tratamento Estatístico de Dados para avaliar a notoriedade de potenciais candidatos à autarquia da Batalha, e de acordo com a ficha técnica, foi considerada uma amostra de 500 pessoas (284 mulheres e 216 homens) com mais de 18 anos, selecionadas aleatoriamente nas quatro freguesias do concelho. A margem de erro global da sondagem é de 4,30% para um grau de confiança de 95,0%.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.