Assinar


Autárquicas 2021

Ex-deputado do PS Carlos Lopes repete candidatura independente em Figueiró dos Vinhos

Segundo o candidato, o Movimento Figueiró Independente é “a única força a nível local que poderá contribuir para a paz social, a concórdia e o entendimento entre todos”

O antigo deputado do PS Carlos Lopes lidera, de novo, a lista do Movimento Figueiró Independente (MFI) à Câmara de Figueiró dos Vinhos nas eleições autárquicas.

Em declarações à agência Lusa, Carlos Lopes explicou que a recandidatura ao município do distrito de Leiria “corresponde ao incentivo, apoio e manifestação de vontade de cerca de 800 eleitores residentes no concelho que manifestaram, formalmente, esse apoio a este movimento de cidadãos independentes”.

Segundo o cabeça de lista, o MFI, que concorreu pela primeira vez em 2017, “veio trazer uma lufada de ar fresco à política local”.

“Durante estes quatro anos optámos por fazer uma oposição baseada na propositura, isto é, assumindo uma conduta de propostas e soluções alternativas para o concelho, recusando o populismo e qualquer tipo de atuação destrutiva que, na nossa perspetiva, não serviriam os interesses da população do concelho”, adiantou Carlos Lopes.

O candidato, eleito vereador nas últimas autárquicas, referiu que as prioridades da candidatura “assentam na necessidade de travar o êxodo populacional, procurando fixar a população residente e, ao mesmo tempo, trazer de volta aqueles que tiveram de partir em busca de melhores condições de vida”.

“Por outro lado, o MFI entende ser a única força a nível local que poderá contribuir para a paz social, a concórdia e o entendimento entre todos, porque achamos que o concelho de Figueiró dos Vinhos é pequeno demais em termos populacionais para tanto divisionismo e tanta crispação”, observou.

Carlos Lopes é vereador do MFI desde 2017

Para Carlos Lopes, “a terceira meta passa” por se cultivar “uma política de proximidade com as populações, nomeadamente aquelas mais rurais e afastadas da sede do concelho”.

“As nossas prioridades assentam na diplomacia económica e, naturalmente, na proatividade que permitam atrair investimento e criar condições para que todos, sem exceção, aqui tenham as mesmas oportunidades para se poderem fixar e realizar e serem felizes”, acrescentou.

Carlos Lopes reconheceu que uma vitória no sufrágio de 26 de setembro será o MFI ter “uma oportunidade para poder governar o concelho com uma estratégia diferenciadora que permita cumprir os objetivos já traçados”.

“Notamos uma disponibilidade e uma recetividade crescente a este projeto de mudança onde percecionamos a vontade da maioria da população a optar por este projeto diferenciador”, declarou.

Carlos Lopes, de 56 anos, é funcionário no Município de Figueiró dos Vinhos, onde é técnico superior de administração regional e autárquica. Foi deputado do PS entre 2005 e 2009, tendo depois sido chefe de gabinete do último governador civil de Leiria, até 2011.

Nas eleições autárquicas de 2009, foi cabeça de lista do PS à Câmara de Figueiró dos Vinhos e foi eleito vereador, cargo que manteve até 2013. Em 2017, liderou a lista do MFI e conquistou um lugar na vereação.

Nas próximas eleições autárquicas, o Movimento Figueiró Independente concorre também à Assembleia Municipal e a três das quatro freguesias do concelho.

O PS lidera o município, tendo, no último sufrágio, conquistado três mandatos no executivo camarário, enquanto a coligação PSD/CDS-PP e o Movimento Figueiró Independente dividiram os outros dois.

São também candidatos Flávio Tigol (Chega), o atual presidente, Jorge Abreu (PS), Filipe Silva (PSD) e Pedro Mata (CDU). O CDS-PP concorre apenas à Assembleia Municipal e a duas juntas de freguesia.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.