Assinar
Teatro

D. Juan quer ser rei de Portugal mesmo depois de morto na peça que estreia sábado em Mira de Aire

“A última batalha” é o mais recente espetáculo da companhia Leirena Teatro e surge na sequência do festival Teatro de Rua de Porto de Mós.

É no purgatório, 631 anos depois da morte de D. Juan I, de Castela, que a trama de “A última batalha” se desenrola: cego pelo poder e com sede de vingança da derrota em Aljubarrota, D. Juan alimenta a ambição de reinar Portugal, uma loucura post mortem da qual os seus generais o tentam demover.

A mais recente peça do Leirena Teatro tem estreia marcada para sábado em Mira de Aire e surge na sequência das outras oito sobre a Batalha de Aljubarrota de 1385 apresentadas este verão no festival Teatro de Rua de Porto de Mós.

Além da temática, neste espetáculo o encenador Frédéric da Cruz Pires mantém o mesmo processo criativo desenvolvido desde a peça “Sob a terra”, estreada em 2020. “É uma linha que explora o teatro expressionista e físico, conjugados agora com o teatro minimalista e do absurdo”, explica.

Em “A última batalha” recorre-se, assim, à técnica da máscara e a jogos de luz que se revelam “bastante importantes”. Impacto terá também o objeto cénico criado, em que foi utilizado um quilómetro de elástico, e a música de Surma que, em cena, sublima estados emocionais de personagens e situações.

Frédéric conta que a intenção é criar um espetáculo “visualmente poético”, com quatro linhas completamente diferentes. Por oposição a uma recriação histórica, aqui apresenta-se ficção sustentada em “diferentes quadros, cenas e figuras que marcam o momento histórico”, com recurso a uma estética mais física, que estabelece maior contacto com o público.

Em resumo, esta é uma peça “para ficar na memória e na retina das pessoas. É algo que ninguém vai estar à espera”, promete.

E apesar de retratar D. Juan I, esta história pode ser transportada para a sociedade atual, frisa Frédéric, questionando: “Quantos D. Juans assim é que não existem na nossa vida? O Hitler, o Mussolini e o próprio Trump. Será que eles depois da morte não vão querer continuar a conquistar?”.

Em residência artística há mês e meio, a companhia Leirena apresenta o resultado desta coprodução com o município de Porto de Mós às 21h30 do dia 30 de outubro, na Casa da Cultura, em Mira de Aire, no concelho de Porto de Mós. As entradas são gratuitas mas carecem de pré-reserva aqui.

Após a estreia, o objetivo é levar “A última batalha” a outros municípios, sendo que está prevista a digressão do espetáculo em conjunto com outra produção do Leirena a partir de fevereiro de 2022.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.