Assinar
Caldas da Rainha

Escola Internacional de Tim Vieira abriu portas nas Caldas da Rainha

Vocacionado para jovens dos 12 aos 18 anos, o projeto assenta o seu método de ensino na língua inglesa, através da aprendizagem de competências e uma grande flexibilidade nas matérias abordadas.

Caldas da Rainha acolhe, desde o mês passado, a sexta academia BGA (Brave Generation Academy), que o empresário Tim Vieira tem vindo a lançar em todo o país, depois de ter desenvolvido o conceito noutros países.

Trata-se de uma escola internacional vocacionada para jovens, dos 12 aos 18 anos, que assenta o seu método de ensino na língua inglesa, através da aprendizagem de competências e uma grande flexibilidade nas matérias abordadas, fugindo assim ao ensino tradicional. Funcionando o ano inteiro, os períodos das pausas letivas são decididos em conjugação com os pais dos alunos.

O mentor deste projeto ficou conhecido entre nós pela sua participação na versão portuguesa do programa televisivo ‘Shark Tank’, emitido pela SIC, onde foram apoiados negócios apresentados por empreendedores em busca do sucesso empresarial.

O empresário e investidor Tim Vieira, nascido na África do Sul, mas a residir em Portugal há uma década, acredita que a BGA tem a grande vantagem de que, desta forma, os jovens estudantes podem ir atrás das suas paixões e dos seus sonhos, seja na área desportiva, cultural ou musical, o que o ensino regular não consegue oferecer. E consolidou esta opinião pelas viagens que fez pelo mundo, quer em negócios ou em lazer com a família.

“As crianças estão mais motivadas e aprendem a ser mais responsáveis, persistentes e criativas. E é tudo o que precisamos para um futuro mais forte, para tornar Portugal mais competitivo”, refere o mentor ao REGIÃO DE LEIRIA. Acrescenta ainda que “focamos a nossa atenção no estudante e queremos que esteja feliz… se conseguir fazer isto, conseguirá fazer coisas incríveis. É nisto que acredita a BGA!”.

Natural de África do Sul, Tim Vieira reside em Portugal há uma década

Depois do Porto, Braga, Cascais, Lisboa, Lagos e Loulé, foi a vez das Caldas da Rainha abrir um ‘hub’ desta academia, tendo a ideia sido proposta pela comunidade da cidade termal.

“Posso dizer que foi Caldas da Rainha que escolheu a BGA. Foi interessante porque foram os pais que entraram em contacto connosco e começaram a dizer que estavam interessados em ter uma academia na cidade”, explica Tim Vieira. Pouco depois nasceu a parceria com a Newmanity School, dos empresários Filipa e Miguel Carvalho, tendo aberto as portas aos primeiros estudantes no passado dia 17 de setembro. Pelo meio houve um piquenique com os primeiros pais interessados no projeto, que se comprometeram a contactar outros para aumentar o número de crianças para frequentarem a escola e, desde então, o projeto tem vindo a ser consolidado.

“Fico muito contente de ver que foi a comunidade que acolheu a BGA”, destaca Tim Vieira. Com equivalência do 7º ao 12º anos, a BGA tem a aprovação para ministrar os vários níveis do ensino inglês através dos métodos de Cambrigde e Pearson Edexce, sendo considerado pelo empresário como “um dos currículos mais aceites no mundo”.

Quanto ao futuro, Tim Vieira acredita no sucesso deste projeto, havendo planos para abrir mais delegações em Guimarães, Santarém, Faro e, em breve, na Ericeira.

“Acreditamos que, trabalhando com a comunidade, é a maneira mais fácil de conseguirmos proporcionar uma educação internacional a mais gente, criando mais oportunidades a mais crianças. Temos não só estrangeiros como portugueses que querem estudar em currículo internacional e isso é que é a democracia da educação, que é uma coisa que a BGA leva muito a peito… vamos continuar a crescer para as cidades e vilas que precisam de nós e é essa a vantagem deste projeto”, acredita o responsável. Lá por fora, este novo conceito educativo está já presente nos Estados Unidos (quatro escolas), África do Sul (duas) e Moçambique (uma).

Paulo Ribeiro

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.