Assinar
Mercado

Têxtil de Leiria quer comprar Dielmar para poder crescer

Com a aquisição, a Outfit 21, sedeada no Arrabal, pretende resolver necessidades de produção e manter os mais de 240 postos de trabalho da empresa de Castelo Branco

A possibilidade de aumentar a capacidade produtiva, para responder ao grande acréscimo da procura, está na base da proposta que a Outfit 21 apresentou para a aquisição da Dielmar, uma empresa têxtil de Castelo Branco que está falida e tem 245 trabalhadores à espera de uma solução.

“A ideia é termos mais uma unidade de produção, para podermos dar resposta à carteira de encomendas. A nossa proposta surge como uma oportunidade de podermos, de uma forma rápida, responder ao mercado”, explicou ao REGIÃO DE LEIRIA o administrador da empresa de Leiria, Mário Gaião.

A falta de mão de obra prejudica a expansão da Outfit 21

O ano de 2020, “embora tenha sido difícil devido à pandemia”, permitiu “diversificar muito os mercados, expandir para outros países e montar uma rede de vendas em Portugal e Espanha”. “As coisas evoluíram de tal forma que nem nós estávamos à espera que corresse tão bem a nível comercial”, adiantou Mário Gaião.

No ano passado, a empresa “subiu ligeiramente” a faturação, em comparação com o período homólogo anterior, e para o corrente ano prevê “uma pequena subida”. “Poderíamos ter um acréscimo muito significativo de faturação, se tivéssemos mais capacidade de transformação e de produção”, reforça o administrador da Outfit 21.

Por isso, a proposta de aquisição resulta “essencialmente da necessidade de crescer a capacidade produtiva, insuficiente na unidade do Arrabal, por falta de mão de obra na região, e não tanto de uma questão sentimental ou relacionada com a marca Dielmar”, adianta Mário Gaião, antigo diretor de produção da empresa de Castelo Branco.

A aquisição “resolveria as necessidades da Outfit 21 e garantia a manutenção da Dielmar e dos postos de trabalho em Castelo Branco”. No caso da expansão da empresa de Leiria, se não for esta, “terá de ser encontrada outra solução do género”.

“Nós fizemos o nosso trabalho. Apresentámos uma proposta e estamos a aguardar a decisão da assembleia de credores. Quanto às outras propostas, não comento, porque não as conheço, e na verdade nem sei se existem. A questão agora não está nas nossas mãos”, refere Mário Gaião, na expetativa de uma decisão ao encontro das necessidades da Outfit 21, e da região de Castelo Branco, “evitando que muita gente fique no desemprego”.

A têxtil de Leiria é a única subscritora conhecida de uma proposta de aquisição da Dielmar. Haverá outra, cuja identificação não foi revelada, e duas manifestações de interesse apresentadas ao administrador de insolvência. Um consórcio de cinco empresas do sector também terá manifestado interesse, mas acabou por desistir. Estas questões levaram a última assembleia de credores, a 6 de outubro, a suspender a reunião até ao próximo dia 26, data em que será tomada uma decisão final.

A empresa de Alcains, no concelho de Castelo Branco, apresentou o pedido de insolvência a 2 de agosto, com uma dívida de 16,8 milhões de euros a 355 credores, reclamando o Estado pelo menos oito milhões.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.