Assinar
Sociedade

Câmaras de infravermelhos em drones reforçam videovigilância florestal na região de Leiria

Os novos equipamentos estão a ser testados e deverão entrar em funcionamento no início do ano.

A vigilância florestal vai ser reforçada no início do ano na região de Leiria com câmaras de infravermelhos em drones e móveis a instalar em duas viaturas adaptadas, com vista à deteção automática de incêndios.

Os primeiros testes e uma demonstração dos novos equipamentos decorreram esta manhã, em Porto de Mós, sendo objetivo complementar o sistema já existente e que inclui 11 torres de videovigilância e dois Centros de Gestão e Controlo, que cobrem 85% do território. A gestão do sistema é operacionalizada pela GNR e o Centro Distrital de Operações de Socorro Leiria (CDOS), entidades às quais compete coordenar as operações de prevenção e combate a fogos rurais.

Segundo explica em comunicado a Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria (CIMRL), entidade responsável pelo projeto, as câmaras de infravermelhos de alta definição proporcionam “uma leitura mais completa do terreno” podendo “operar em condições de reduzida visibilidade”.

A CIMRL também suporta a totalidade do investimento, nesta última fase do projeto em mais cerca de 335 mil euros, com financiamento do POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, acrescenta na mesma nota.

Jorge Vala, vice-presidente da CIMRL e presidente da Câmara de Porto de Mós, sublinha por seu turno a importância do investimento, no montante global de 1,2 milhões, que reflete a aposta “na prevenção e combate dos fogos florestais”.

Segundo o autarca, “os resultados nos últimos dois anos de operação são francamente positivos e um exemplo de eficácia a nível nacional”, sendo a região de Leiria “um exemplo nacional neste domínio”.  

Tenha acesso ilimitado a todos os conteúdos do site e à edição semanal em formato digital.

Se já é assinante, entre com a sua conta. Entrar