Assinar


Nazaré

Oeste investe mais de três milhões de euros em projetos ligados à pesca

O GAL Pesca Oeste envolve 21 entidades dos municípios de Peniche, Óbidos, Caldas da Rainha, Alcobaça e Nazaré

O Grupo de Ação Local (GAL) Pesca Oeste tem em curso investimentos superiores a três milhões de euros em projetos ligados à pesca, no âmbito da parceria que junta cinco concelhos da região.

Os projetos integram a Estratégia de Desenvolvimento Local de Base Comunitária Costeira no período 2014-2021, que, de acordo com um balanço divulgado na terça-feira, dia 7, pelo GAL Pesca Oeste, permitiram atingir uma dotação de 3,1 milhões de euros e aprovar várias dezenas de candidaturas de todos os municípios que integram a parceria.

No âmbito do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas “foram aprovadas 39 candidaturas, num montante total de apoio público de 2,6 milhões de euros”, refere o GAL num comunicado em que faz ainda um balanço da taxa de execução, situada “nos 35%, tendo sido pago aos promotores perto de 926.500 mil euros”.

Do total dos projetos em curso, cerca de 60% estão a ser desenvolvidos por entidades públicas (autarquias, instituições de ensino e centros de inovação e desenvolvimento), sendo os restantes da responsabilidade de empresas e de organizações do setor social ligadas à pesca.

No mesmo horizonte temporal foram ainda apresentados outros projetos ao Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e ao Fundo Social Europeu (FSE) com uma dotação de 935 mil euros.

Destes, “foram aprovadas 24 candidaturas, num total de 736 mil euros (79%)”, e a taxa de execução “situa-se atualmente nos 6%”, divulgou o GAL após uma reunião de todos os parceiros, realizada na Nazaré (distrito de Leiria).

O GAL Pesca Oeste tem como entidade gestora a ADEPE – Associação para o Desenvolvimento de Peniche e envolve 21 entidades dos municípios de Peniche, Óbidos, Caldas da Rainha, Alcobaça e Nazaré.

De acordo com o vice-presidente da ADEPE, Jorge Abrantes, “o balanço dos seis anos de exercício é positivo” e os projetos desenvolvidos “permitiram a empresas, aos municípios e à academia trazerem investimento para a região Oeste, numa lógica de proximidade às comunidades”.

Citado na nota, Jorge Abrantes sublinha “a valorização do património cultural e identitário das comunidades ribeirinhas deste conjunto de municípios” que foi possível alcançar durante este período, através de projetos que se traduzem igualmente num “forte impacto no potencial turístico da região”.

No que respeita ao horizonte 2021-2027, o vice-presidente da ADEPE lembra que “o ano 2022 será decisivo para a clarificação de quais os GAL Pesca que vão ser aprovados e apoiados” e defende que no caso do Oeste os municípios e empresa deverão prosseguir com esta experiência.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.