Assinar Edições Digitais

Quilómetro 130: Maputo

Escrevo-vos desta vez de Maputo, capital de Moçambique, por muitos justamente designada a “Pérola do Índico”.

Cláudio de Jesus, engenheiro do Ambiente claudiojesus2012@gmail.com

Escrevo-vos desta vez de Maputo, capital de Moçambique, por muitos justamente designada a “Pérola do Índico”.

Esta cidade é hoje centro de grande atração de investimentos internacionais em múltiplos setores de atividade. Há alguns anos, foram descobertas ao norte do país, na província de Tete, das mais importantes jazidas de carvão do mundo. Mais recentemente, foi anunciada a descoberta de grandes reservas de gás natural que, a julgar pelas informações mais recentes, farão de Moçambique um dos maiores produtores mundiais deste combustível fóssil. E já para não falar da existência, quase segura, de enormes reservas petrolíferas.

É enorme o afluxo de expatriados, na sua maioria técnicos qualificados, que aqui se instalam com as suas famílias, em representação de multinacionais ligadas aos sectores financeiros, de seguros, petrolíferas e todas as grandes empresas de consultoria internacionais. Aqui vêm apostando diversos empresários da região de Leiria, em particular nos sectores de fornecimento de equipamentos e construção civil. Sinónimo dessa vontade, são as sucessivas missões empresariais promovidas pela NERLEI, com o apoio da AICEP. Ainda há cerca de um mês, ocorreu mais uma dessas iniciativas. Oxalá sejam bem sucedidos em mais este processo de internacionalização, a bem de Moçambique, de Portugal e, em particular, da Região de Leiria.

(texto publicado na edição em papel de 25 de maio de 2012)