Abiul, no concelho de Pombal, tem uma das mais famosas praças de touros do país

A programação da Rede Cultura 2027, que prepara a candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura 2027, deve evitar atividades que celebrem ou evoquem a tradição tauromáquica, anunciou hoje o responsável pelo conselho estratégico.

Em nota assinada por João Bonifácio Serra, o conselho estratégico da Rede Cultura 2027 recomenda aos programadores do projeto que se abstenham de incluir na programação transversal e comum que chegará aos 26 municípios aderentes, “quaisquer atividades em torno da celebração ou evocação da tradição tauromáquica”.

A posição é fundamentada no facto de “as chamadas touradas e outros espetáculos congéneres” serem, na atualidade, “rejeitadas por parte significativa da opinião pública”, recebendo ainda “viva condenação por parte de organizações cívicas e de defesa dos direitos dos animais”. 

O conselho estratégico da Rede Cultura 2027, reconhece que, em vários municípios que integram o território da candidatura, “existe uma prática continuada” nas lides tauromáquicas e, por isso, a posição hoje divulgada “não implica que, no quadro da sua programação autónoma, cada município não prossiga a sua atividade neste domínio sinalizado pela tradição”.

Daí decorre também a indicação do conselho presidido por João Bonifácio Serra para que os programadores da Rede Cultura 2027 “se abstenham de qualquer interferência nas atividades que, em cada município, sejam desenvolvidas em relação a este tema”.