Mensagem enviada pelo Presidente do Município de Leiria a Tongling e Shantou

O nosso pedido de ajuda já chegou ao outro lado do mundo e está a dar frutos. Veja a mensagem enviada pelo presidente da Câmara Municipal de Leiria, Gonçalo Lopes, aos responsáveis pelas cidades irmãs de Tongling e Shantou, na China, com que Leiria mantém acordos de geminação.Este é um bom exemplo da importância que representam os acordos de cooperação com cidades de outros países.Obrigado Tongling!Obrigado Shantou!Publicado por Município de Leiria em Sexta-feira, 27 de março de 2020

Aceder ao mercado chinês para reforçar as equipas de saúde com material de proteção médico é o objetivo do pedido de ajuda enviado hoje, sexta-feira, pela Câmara de Leiria às cidades irmãs Tongling e Shantou, na China.

“Enquanto presidente do Município de Leiria venho pedir aos responsáveis das nossas cidades irmãs que sejam nossos embaixadores junto do vosso sector produtivo na área dos equipamentos médicos de proteção”, diz Gonçalo Lopes num vídeo partilhado esta tarde na página da autarquia.

O autarca destaca a “urgente necessidade de reforçar” as equipas de saúde e instituições que apoiam a população idosa com os materiais e equipamentos adequados ao combate da Covid-19.

Gonçalo Lopes refere ter “esperança que se possa recorrer ao mercado chinês” para adquirir bens que são necessários com “tanta urgência”, apelando à ajuda das duas cidades com quem o município mantém acordos de geminação.

As máscaras cirúrgicas, óculos clínicos de proteção, fatos de proteção com capuz, capuzes com viseira e batas são alguns dos materiais que são mais necessários, bem como luvas, proteção de calçado antiderrapante até ao joelho, proteções de estetoscópios e ainda termómetros infravermelhos digitais, refere a autarquia.

No pedido de ajuda, o presidente da Câmara de Leiria realça a “resposta exemplar [da China] perante a pandemia” do novo Coronavírus e tranquiliza as cidades irmãs em relação ao alunos oriundos da China e que estão a estudar no Politécnico de Leiria.

“Podem ficar tranquilos, pois estamos a acompanhá-los como se fossem nossos filhos, garantindo que nada lhes falte”, diz.