Máscaras serão entregues a instituições do concelho. Foto: Joaquim Dâmaso

A iniciativa “Costurar com o coração” vai permitir a produção de 200 mil máscaras nas “próximas duas semanas para proteger as comunidades” do concelho, revelou o presidente do Município de Leiria, Gonçalo Lopes.

O autarca, que falava na segunda-feira, dia 6, no quartel dos Bombeiros Municipais de Leiria, explicou que “o material, que a câmara municipal conseguiu arranjar”, será disponibilizado a muitas pessoas e a empresas que, de forma voluntária, vão fazer máscaras “para proteger a sua própria comunidade”, adiantou o autarca.

A campanha de voluntariado “Costurar com o coração”, lançada pelo Município de Leiria, tem como objetivo “envolver a sociedade leiriense na produção de máscaras para 60 instituições particulares de solidariedade social do concelho”.

IPLeiria e associações empresariais da região entregaram material de proteção ao comando distrital dos bombeiros Foto: Joaquim Dâmaso

Na cerimónia no quartel dos Bombeiros Municipais de Leiria foram ainda oferecidas quatro mil viseiras de proteção ao comando distrital dos bombeiros, GNR, INEM, Cruz Vermelha, ACES Pinhal Litoral,  ACES Pinhal Interior, estabelecimentos prisionais de Leiria e Caldas da Rainha, centros de saúde e Centro Hospitalar do Oeste.

“Este projeto colaborativo, em rede, é a imagem de marca de Leiria. Num momento em que há muita tensão para fazer muita coisa, conseguimos ter o discernimento para trabalhar em conjunto e corresponder rapidamente de uma maneira efetiva a quem mais precisa”, disse Gonçalo Lopes, também presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil de Leiria.

“Naturalmente, a partir daqui outras viseiras irão aparecer no mercado. E, portanto, será também a altura ideal para estimular a indústria portuguesa para os novos desafios que aí vêm, em especial a nossa, uma vez que Leiria é uma zona industrial de excelência”, adiantou.

No mesmo sentido pronunciou-se o presidente do Politécnico de Leiria, Rui Pedrosa: “É também agora o tempo destas empresas, que tiveram esta generosidade, esta solidariedade enorme, poderem ver aqui uma oportunidade de garantir os postos de trabalho e de gerar negócio”.

“É mais do que legítimo que, salvando vidas, ajudando a comunidade nacional e internacional, também ajudem a economia do país, porque se não conseguirmos garantir os postos de trabalho e as empresas não conseguimos avançar”, conclui Rui Pedrosa.

Esta iniciativa resulta de uma colaboração que junta o Politécnico de Leiria e empresas da região de Leiria, de diferentes sectores de atividade, que têm contribuído para a angariação de fundos e na produção de equipamentos individuais de proteção. A intermediação para posterior entrega às instituições está a ser desenvolvida pela instituição de ensino, Nerlei, Cefamol, Apip, Acilis, Centimfe e Aricop.