O número de empresas que recorreram ao regime de lay-off simplificado no distrito de Leiria aumentou 11,25% (mais 448) no espaço de oito dias, em linha com o resultado da média nacional, segundo os dados mais recentes do Gabinete de Estudos e Planeamento do Ministério do Trabalho (MTSSS).

A região de Leiria, com 4.429 empresas que suspenderam total os parcialmente a atividade desde o início da pandemia, encontra-se na 7ª posição na tabela nacional, que inclui também as regiões autónomas.

Os dados, referentes a segunda-feira, dia 27, mostram que o distrito de Lisboa registou o maior número de pedidos (22.586), à frente do Porto (18.243) e Braga (9.272). Esta evolução corresponde a mais 2.420 (12%), 1.642 (9,89%) e 866 (10,30%), respetivamente.

Os distritos de Faro, Aveiro e Setúbal são os outros que apresentam resultados mais elevados do que Leiria. Imediatamente atrás encontram-se Coimbra, Santarém, Viseu e a região da Madeira.

No período de 20 a 27 de abril, o número de pedidos de lay-off simplificado a nível nacional cresceu de 86.201 para 95.757, segundo as estatísticas do MTSSS.

Em termos percentuais, o distrito de Leiria é o 11º em que se registou o maior aumento de empresas em lay-off no espaço de oito dias, em linha com a média do país (11,09%). No topo da tabela encontram-se os Açores, Aveiro, Beja e Lisboa, com valores entre 13,05% e 12%.

O distrito de Leiria têm um peso de 4,6% no total de casos de lay-off simplificado, enquanto Lisboa assume a maior fatia (23,6%), à frente do Porto (19,1%) e Braga (9,7%).

O número de trabalhadores abrangidos a nível nacional é de 1.180.769 (1.085.824 há oito dias), que representam remunerações declaradas superiores a 1,195 mil milhões de euros (contra 1,101 mil milhões), mas os dados apresentados pelo MTSS não estão desagregados por região.

Estes resultados significam que o número de trabalhadores abrangidos pelo lay-off simplificado aumentou 8,74% e o valor das remunerações declaradas cresceu quase na mesma proporção (8,57%), a nível nacional.