Duas empresas do Parque Tecnológico de Óbidos PTO) criaram uma plataforma ‘online’ para escoamento de produtos agrícolas de todo o país.

Denominada “Avia-te Online”, a plataforma já está a funcionar como um “canal alternativo de vendas”, e junta-se a outras medidas de apoio ao empreendedorismo digital lançadas pelo parque.

A iniciativa partiu de quatro empresários de duas empresas do parque – Bruno Matias e Carlos Soares, da SafeAlliance, e Diogo Massena e Samuel Francisco, da Techsolum – para dar resposta ao sector da agricultura, que consideram ser “dos que mais estão a sofrer com os efeitos da pandemia da Covid-19, sobretudo devido ao facto de trabalhar com produtos perecíveis.

“Muitas empresas de distribuição de cabazes (que fazem a intermediação entre agricultores e consumidores) deixaram de conseguir dar resposta aos pedidos e os agricultores, por falta de um canal alternativo, não têm como escoar os seus produtos”, referem numa nota de imprensa os responsáveis pelas duas tecnológicas, que juntaram competências para criar “um ‘marketplace’ que visa ajudar os produtores a vender, mas também a recuperar a sua atividade económica”.

O projeto tem também como objetivo “fazer com que muitos agricultores comecem a trabalhar em ambiente digital”, sobretudo numa altura em que “as compras através de plataformas ‘online’ registaram um aumento brutal, por força do confinamento”.

As empresas que “aceitem encomendas e que façam entregas em casa têm todas as condições para continuar depois da crise”, entendem os fundadores da plataforma, lançada na sexta-feira.

A “Avia-te Online”, disponível também via ‘app’ (para já apenas para Android), permite que os produtores de todo o país coloquem os seus produtos à venda diretamente para o consumidor final, sendo os preços e as entregas da responsabilidade do produtor.

O Parque Tecnológico de Óbidos está também a criar respostas para o sector empresarial visando “ajudar as empresas na sua transição digital”.

Entre elas está a oferta de “10 licenças de participação no curso ‘Aprenda a vender pela Internet’”, promovido pela StartSe, uma entidade de apoio ao empreendedorismo digital do Brasil.

Num comunicado, o parque explica que as licenças serão oferecidas a empresas que o integram, mas também a empresas externas à sua comunidade, “com o objetivo de ajudar aquelas que ainda não se posicionaram no mercado digital”.

Citado no comunicado, o diretor executivo do Óbidos Parque, Miguel Silvestre, afirma que a ideia é contribuir para tornar as empresas “mais competitivas na procura de novas oportunidades de negócio” e “melhorar o desenvolvimento da região”.

 “A necessidade de as empresas estarem preparadas para trabalhar através de modelos digitais de comercialização de produtos e serviços é urgente”, considera.

O curso, ‘online’ e interativo, pretende preparar os participantes para a criação de um ‘e-commerce de sucesso’, ao longo de três horas diárias durante três dias de formação.