O festival “Estado de Excepção” foi autorizado a apresentar espetáculos em espaços públicos, avançou o responsável pelo evento, Frédéric da Cruz Pires, do Leirena Teatro.

Depois de ter sido obrigada a alterar a programação prevista, por falta de permissão para atuar na via pública, a organização do festival obteve luz verde para estender os espetáculos para lá dos lares, onde “Estado de Excepção” se tem apresentado nas últimas semanas.

Já esta sexta-feira, 5 de junho, o Leirena Teatro atua às 11 horas no Centro Social Paroquial de Regueira de Pontes. À noite, no mesmo dia, a companhia de teatro apresenta-se então pela primeira na rua no âmbito de “Estado de Excepção”, a partir das 21 horas, na Rua Cidade de Tokushima, Bairro dos Capuchos.

Em todo o caso, as diretrizes para controlo da propagação da pandemia de Covid-19 obrigam à limitação de ajuntamentos na rua: não é permitido um número superior a 20 pessoas na via durante o espetáculo, recomendando o Leirena Teatro que o público assista a partir das janelas e varandas de casa.

A programação para este fim de semana contempla ainda a atuação da companhia Encerrado para Obras no Lar Social do Arrabal, sábado, 6 de junho, às 10h30, e da Cia.Bipolar na Pro-Real, em Monte Real, domingo, 7 de junho, às 11 horas.

“Estado de Excepção” surge da iniciativa do Leirena Teatro, em parceria com o município e juntas de freguesia do concelho de Leiria. O festival é suportado pelas verbas previstas para o festival Novos Ventos – Festival de Teatro Comunitário, cancelado devido à pandemia.