Foi na tarde deste domingo, dia 7, que o distrito de Leiria ficou a conhecer os sete candidatos que irão disputar uma das finais regionais do concurso 7 Maravilhas da Cultura Popular de Portugal.

A seleção foi comunicada num programa transmitido na RTP1.

A organização do concurso recebeu 504 candidaturas que foram agora selecionadas para uma lista de 140 finalistas regionais, com 7 patrimónios de cada região.

No distrito de Leiria, na categoria “Procissões e Romarias” concorrem a Procissão dos Caracóis – Festa de Nossa Senhora do Fetal, na Batalha, e a Procissão Marítima Noturna em honra de Nossa Senhora da Boa Viagem, em Peniche.

Já na categoria “Artesanato”, o distrito tenta a sua sorte com o artesanato em vidro, da Marinha Grande, e a renda de bilros de Peniche.

Na categoria “Rituais e Costumes” o painel de especialistas do concurso selecionou o Enterro do Bacalhau, em Leiria, e a Arte Xávega, da Marinha Grande.

Por fim e para completar a lista distrital, na categoria “Artefactos” foram escolhidos os Muros de pedra seca, em Porto de Mós.

Os finalistas da região de Leiria foram selecionados a partir de uma lista de 42 tradições que enviaram candidaturas.

Os sete patrimónios de cada região foram selecionados por um painel de especialistas composto por sete elementos de cada um dos 18 distritos e das duas regiões autónomas de Portugal.

Os finalistas vão agora competir em 20 finais regionais que correspondem a 20 programas em direto, com transmissão a partir de 6 de julho na RTP1 e RTP Internacional.

Desta ronda de programas serão apurados 20 patrimónios regionais através do voto popular.

Antes da final do concurso, a 5 de setembro, haverá ainda um programa de “repescagem” – que vai recuperar oito dos candidatos já eliminados -, a 16 de agosto, e duas semi-finais nos dias 23 e 30 de agosto.

A organização aproveita ainda a ocasião para lançar a plataforma digital “País das Maravilhas“, que compila os vencedores de todas as edições do concurso 7 Maravilhas, nas diferentes categorias.

Luís Segadães, presidente das 7 Maravilhas, afirma, citado num comunicado, que este “é o momento mais indicado” para lançar a plataforma pois permitirá aos vencedores e participantes dos concursos realizados desde 2007 “beneficiar de uma promoção acrescida das suas maravilhas e dos seus territórios, levando mais gente a todos os cantos de Portugal”.