Cabrita lança-se em nome próprio após 30 anos de parcerias de peso Foto: Ana Viotti

“Cabrita” é o nome do projeto de estreia a solo do saxofonista, produzido pela Omnichord Records e já se encontra disponível em CD e nas plataformas digitais

“Cabrita” é o novo disco com selo da editora Omnichord Records, de Leiria, que lançou hoje, 1 de outubro, o primeiro trabalho a solo de um saxofonista histórico da cena musical portuguesa.

O currículo de João Cabrita ao longo de três décadas regista a colaboração com dezenas de distintos artistas portugueses, como Sitiados, Kussundulola, Dead Combo, Sérgio Godinho ou Orelha Negra. É por isso que a Omnichord lhe atribui o título de “um dos músicos mais versáteis e criativos das últimas décadas da música nacional”.

Agora, o saxofonista lança-se em nome próprio mas não sozinho. O disco de estreia conta com colaborações de monta, como são os casos de The Legendary Tigerman, Sam The Kid, Selma Uamusse, Tó Trips, Milton Gulli, Ivo Costa, Gui, Sandra Batista, João Batista, Hélio Morais e João Gomes.

O álbum de João Cabrita explora “fronteiras entre géneros musicais” e é resultado da experiência de 30 anos de carreira, em que o artista gravou mais de 100 discos, do “rock ao jazz” e do “funk ao pop”, refere a Omnichord Records, em comunicado.

“Caravan”, um dos singles deste trabalho (com The Legendary Tigerman), hoje divulgado, é o terceiro de quatro vídeos realizados por Miguel Leão e aborda uma “Lisboa noturna e misteriosa à procura de um universo utópico”, refere Fernando Nobre (Silk), citado pela Omnichord Records.

“Cabrita” está disponível em CD nas plataformas digitais (como o Spotify) e em pré-venda via Bandcamp (CD e vinil).

No próximo mês, será lançada uma edição limitada em formato vinil duplo gatefold, com um disco extra, onde constarão temas inéditos, gravados pelo saxofonista em “Quarentine sessions”.