Assinar Edições Digitais


Cultura

Doze agentes culturais lembram que Gonçalo Lopes pôs “Leiria no mapa cultural do país”

Em carta ao diretor do REGIÃO DE LEIRIA, é defendida a ação do atual presidente da Câmara em prol da cultura na última década e também durante a pandemia.

As reações à entrevista dada pelo anterior presidente da Câmara de Leiria ao REGIÃO DE LEIRIA continuam a surgir. Depois da Federação do PS e dos presidentes de junta eleitos pelo PS, agora foram doze agentes culturais e responsáveis de instituições do concelho a tomar posição a favor do atual presidente e ex-vereador da Cultura, visado nas críticas de Raul Castro.

Em carta dirigida ao REGIÃO DE LEIRIA, subscrita por Acácio Sobreira (INATEL), Adélio Amaro (CEPAE), Alberto Roque (maestro), Carlos Lopes (presidente da Associação de Filarmónicas do Concelho de Leiria), Carlos Matos (diretor do Fade In), Clara Leão (professora de dança), Frédéric da Cruz (diretor do Leirena Teatro), Hugo Bastos Alves (presidente da SAMP), Hugo Ferreira (diretor da Omnichord Records), José Vaz (diretor do Rancho da Região de Leiria), Luís Mourão (encenador) e Ana Rita Leitão (presidente da Associação de Folclore da Região de Leiria – Alta Estremadura), é considerado que hoje “Leiria está no mapa cultural do país”, resultado do “papel fulcral” do agora presidente da Câmara no “investimento na promoção da Cultura”.

O papel de Gonçalo Lopes no apoio ao setor durante a pandemia é também realçado, pelas “condições de sustentação a todos os que trabalham para a Cultura” criadas.

Carta enviada ao REGIÃO DE LEIRIA:

“Ex.mo Senhor diretor do jornal ‘Região de Leiria’

Atendendo a uma entrevista publicada no último número do jornal ‘Região de Leiria’, um grupo de pessoas ligadas à área da Cultura, entenderam desde já mostrar, com o texto que se junta, o que reconhecem no trabalho autárquico do atual Presidente da Câmara Municipal de Leiria, Gonçalo Lopes:

Leiria está no mapa cultural do País! Sem esquecer que os últimos 10 anos de mandato autárquico foram de esforço e de dificuldades, mas também de investimento na promoção da Cultura no concelho de Leiria, o atual Presidente da Câmara teve sempre um papel fulcral nessa promoção, agora e enquanto foi vereador da Cultura. 

Com ele, as relações com os diversos agentes culturais tornaram-se não só de proximidade, como de partilha das melhores decisões para a sustentabilidade da criação e do associativismo. 

Neste último ano em que todos fomos assolados pela grande tempestade pandémica, o que coincidiu com a sua assunção do cargo de presidente da autarquia, não só continuou a dar condições de sustentação a todos os que trabalham para a Cultura, como a reorganização que promoveu na equipa autárquica levou a que, apesar das grandes dificuldades, continuassem a ser possíveis as oportunidades de trabalho de todos, para o público. 

Este dinamismo e gestão de proximidade tem permitido superar o que, muitas vezes, parecia impossível e hoje temos uma Região a trabalhar em conjunto com Leiria, com diversidade de pensamento, com o trabalho de muitos mas, sem dúvida, com o enorme empenho e laços de confiança e de afetos que o atual Presidente da Câmara de Leiria, Gonçalo Lopes, tem demonstrado ao longo deste mandato. Por tudo isto, com ele e o envolvimento dos agentes associativos e culturais, Leiria está nos grandes roteiros culturais do País. 

– Acácio Sobreira, dirigente do INATEL
– Adélio Amaro, editor e presidente do CEPAE 
– Alberto Roque, maestro 
– Carlos Lopes, presidente da Associação de Filarmónicas do Concelho de Leiria
– Carlos Matos, diretor do Fade In
– Clara Leão, professora de dança
– Frédéric da Cruz, diretor do Leirena Teatro
– Hugo Bastos Alves, presidente da SAMP 
– Hugo Ferreira, diretor da Omnichord Records 
– José Vaz, diretor do Rancho da Região de Leiria 
– Luis Mourão, encenador 
– Rita Leitão, presidente da Associação de Folclore do Concelho de Leiria”