Assinar
Covid-19

Covid-19: Região de Leiria ultrapassa 12 mil casos de infeção com novo máximo diário

Óbidos confirmou cinco mortes associadas à infeção, nas últimas 24 horas. Ourém, Caldas da Rainha e Peniche também registaram mais um óbito cada.

Será o maior máximo diário na região e num só concelho desde o início da pandemia. Ourém tem hoje, sábado, mais 180 novos casos de infeção ativos.

Acompanhando a tendência dos últimos dias, a nível nacional, também na região (distrito de Leiria e concelho de Ourém), os dados divulgados pelas autoridades atingem números históricos. Há este sábado, dia 9, indicação de um total de mais 568 casos positivos de infeção na região de Leiria.

Dos 17 concelhos da região, apenas Castanheira de Pera não tem qualquer alteração relativamente aos novos casos de infeção.

Como anteriormente indicado, Ourém é o concelho com mais casos (180) mas Leiria também se aproxima de uma centena de novas infeções (91), ultrapassando os três mil casos desde março.

Em Caldas da Rainha foram identificados mais 45 casos de infeção e em Peniche mais 41.

Os dados das autoridades de saúde e municípios mais recentes dão ainda conta de novos casos em Ansião (34), Marinha Grande (26), Pombal (25), Alcobaça (24), Figueiró dos Vinhos (21), Pedrógrão Grande (21), Alvaiázere (20), Porto de Mós (16), Óbidos (6), Batalha (5) e Bombarral (1).

A pandemia causada pela infeção do novo coronavírus já atingiu, no total, 12.333 doentes na região, dos quais 8.684 já recuperaram, 132 nas últimas 24 horas.

Entre as recuperações, Leiria é o concelho com mais doentes a ultrapassar a doença desde ontem (34), seguido de Ansião (24), Marinha Grande (18), Figueiró dos Vinhos (17) e Peniche (12). Há ainda mais recuperações em outros municípios da região, mas com valores abaixo da dezena, como acontece em Alcobaça (8), Alvaiázere (5), Pombal (4), Porto de Mós (4), Pedrógão Grande (2), Nazaré (2), Óbidos (1) e Castanheira de Pera (1).

Os dados da região incluem hoje a atualização dos casos do ACES Pinhal Interior, que não eram atualizados desde dia 6 de janeiro, motivo que também explica uma maior incidência de casos nos cinco concelhos abrangidos por aquele Agrupamento de Centros de Saúde (Alvaiázere, Ansião, Figueiró dos Vinhos, Pedrógão Grande e Castanheira de Pera)

Com mais 428 casos ativos na região do que ontem, há ainda registo de oito óbitos: cinco delas confirmadas no concelho de Óbidos, uma em Ourém, uma em Caldas da Rainha e outra em Peniche. Morreram com causas associadas à infeção, desde o início da pandemia, na região, 284 pessoas.

Fonte: Comissão Distrital de Proteção Civil de Leiria, Unidade de Saúde Pública do Médio Tejo e municípios.

Portugal regista 9.478 novos casos e 111 mortes

Portugal regista hoje 111 mortes e 9.478 novos casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde, descidas ligeiras relativamente ao registado nos últimos dias.

O boletim epidemiológico da DGS revela ainda que há mais 104 pessoas internadas com covid-19 do que na sexta-feira, totalizando 3.555 doentes, e mais quatro pessoas em unidades de cuidados intesivos, que são agora 540 em todo o país.

Os número globais desde que foi diagnosticado o primeiro caso de contágio, em março passado, atingem hoje 476.187 pessoas infetadas e 7.701 mortes com covid-19.

Na sexta-feira foram atingidos máximos diários de mortes (118) e de novos casos (10.176).

A DGS considera ativos 102.406 casos, mais 3.468 do que na sexta-feira, e hoje há mais 5.899 casos recuperados, que no total são 366.080.

Em vigilância estão 113.526 contactos, mais 4.365 do que na sexta-feira.

A maior parte dos novos casos situa-se na região Norte (3.377), seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo, com 3.009 novos casos, o Centro (2.074), Alentejo (582), Algarve (326), Açores (67) e Madeira (43).

Das 111 mortes contabilizadas desde sexta-feira, 44 aconteceram na região de Lisboa e Vale do Tejo, 29 no Norte, 25 no Centro, 11 no Alentejo e duas no Algarve.

Desde o início da epidemia de covid-19 em Portugal morreram 4.014 homens e 3.687 mulheres com a doença, a maior parte com idades acima dos 80 anos.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.