Assinar
Covid-19

Covid-19: Marinha Grande tem três turmas confinadas mas a “situação está controlada”

Apesar de testagem alargada no fim de semana, foram detetados três casos em estabelecimentos de ensino e dezenas colocados em isolamento. Autoridades garantem que situação está controlada.

Três turmas de estabelecimentos do ensino pré-escolar e do primeiro ciclo, na Marinha Grande, estão em isolamento profilático. A medida foi tomada esta semana, já depois de a testagem efetuada a pessoal docente e não docente promovida pelo município no fim de semana, não ter revelado qualquer caso positivo.

No total, serão seis dezenas de crianças e cerca de meia dezena de funcionários que estão a observar o isolamento profilático, depois de terem sido detetados três casos positivos em três estabelecimentos diferentes, adianta Clarisse Bento, responsável local de saúde pública. 

Em concreto, a medida de isolamento, determinado pelas autoridades de saúde, abrange uma turma da Escola Básica do Primeiro Ciclo João Beare, uma sala do Jardim de Infância da Amieirinha e ainda uma sala de uma creche de uma instituição privada. “São estas as três situações conhecidas até à data”, aponta a delegada de saúde concelhia.

Foram três casos positivos, detetados ao longo da semana, a implicar o isolamento: foram detetadas duas crianças e uma docente que testaram positivo à Covid-19.

Clarisse Bento sublinha que no passado fim de semana, por iniciativa do município, decorreu o rastreio e testagem de profissionais docentes e não docentes dos estabelecimentos públicos até ao primeiro ciclo: “não houve nenhum caso positivo”.

A responsável de saúde pública salienta que é necessário manter uma atitude preventiva, mesmo face a um resultado negativo no teste à Covid-19, alertando para a falsa sensação de segurança decorrente dessa situação: “o facto de [a docente] ter feito um teste negativo no domingo e passado três dias dar positivo, é demonstrativo de que as pessoas não podem ficar descansadas porque fizeram um teste e deu negativo”.

“Se hoje é negativo amanhã pode ser positivo: as pessoas não podem descansar”, reforça.

Ao REGIÃO DE LEIRIA, Odete Mendes, médica coordenadora da Saúde Pública, refere que a testagem alargada que esta semana decorre nos estabelecimentos de ensino da região tem revelado “ situações muito residuais” de infeção. E lembra ser expectável que com a realização de mais testes, surjam mais casos, mas refere ser reduzido o número de casos encontrado.

“Queremos intervir precocemente e cortar o mais cedo possível os contactos e as cadeias de transmissão, só dessa forma se faz reduzir a incidência de covid-19”, adianta.

Atualmente, com quase uma centena de casos ativos, o concelho da Marinha Grande lidera a região. Um facto a que não será alheio o recente surto detetado numa unidade fabril, com registo de 58 casos.

“A situação está controlada”, assegura a responsável de saúde pública no concelho. Clarisse Bento admite que o número de infetados decorrente desse surto tenha crescido, pese embora não tenha dados que permitam quantificar, exatamente, os casos que posteriormente daí surgiram. 

“Vão surgindo mais casos por causa de familiares e contactos próximos que testaram positivo, e mesmo casos de negativos que depois se vieram a revelar positivos”, explica.

É, reconhece, um “surto grande”, mas adianta que “as pessoas foram contactadas, estão a ser acompanhadas e seguidas”. “A situação está controlada”, reforça.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.