Assinar
Sociedade

Jornais históricos do território da Rede Cultura 2027 vão ser disponibilizados ‘online’

“O Mensageiro” e “A Voz de Domingo”, que deixaram de ser publicados em 2013, são as publicações selecionadas para o arranque do projeto.

O Mensageiro”, que foi extinto pouco antes de completar um século de existência, é um dos títulos disponibilizados no novo Arquivo Digital de Leiria Foto: Diocese de Leiria-Fátima

Todos os números de dois jornais históricos de Leiria, desaparecidos em 2013, ficam disponíveis sexta-feira numa hemeroteca digital que pretende salvaguardar a memória dos 26 municípios do território da candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura.

O anúncio foi feito hoje pela Rede Cultura 2027, responsável pela candidatura, que pretende alargar progressivamente este arquivo ‘online’ de acesso gratuito a periódicos históricos dos municípios envolvidos no projeto de candidatura e aos três arquivos distritais de Leiria, Santarém e Lisboa.

Em comunicado, a instituição considera que esse património constitui “a memória deste vasto, diverso e antigo território”.

No arranque da hemeroteca digital Arquivo Digital de Leiria ficará consultável o acervo integral que resultou dos 99 anos de existência de ”O Mensageiro” e dos 80 anos de ”A Voz de Domingo”, publicações da Diocese de Leiria-Fátima que desapareceram em 2013 para dar lugar a um novo título, “Presente”, que também deixou de ser publicado em 2018.

“Os jornais, talvez ainda mais os jornais locais e regionais, são como os anéis que engrossam o interior dos troncos das árvores duradouras. Cada anel explica-nos, revela-nos, ilustra-nos a memória do que fomos, detalhada, escrita e visual, com voz e sotaque próprios e, assim, nos prova que não somos só a efemeridade do presente nem o acaso do futuro”, descreve a Rede Cultura 2027 sobre a nova hemeroteca Arquivo Digital de Leiria.

O projeto “resgata para uma memória que seja eterna e acessível” as notícias, as pessoas e as ideias levadas à estampa, durante décadas, por aqueles dois jornais, “preservando o papel da sua extinção material”.

Este é o primeiro resultado da parceria entre o município de Leiria, Direção Geral do Livro, de arquivos e bibliotecas e da Fundação Signis, sublinhando a Rede Cultura 2027 que este é um exercício “conjunto de salvaguarda, valorização e comunicação” do património documental e imaterial”, para a preservação da “memória futura”.

Este acervo será apresentado numa cerimónia na sexta-feira, dia 18, às 17h30, no Arquivo Distrital de Leiria, que contará com a presença do professor e historiador, Saul António Gomes, da vereadora da Câmara de Leiria, Anabela Graça, do diretor Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, Silvestre Lacerda, e ainda do diretor da Fundação Signis, padre André Batista.

O momento será transmitido online, em direto, na página de Facebook da Rede Cultura 2027.

Redação com Lusa

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.