Assinar Edições Digitais

Quilómetro 130: Avenida Heróis de Angola

Falta estratégia concertada. Que permita fazer da avenida Heróis de Angola e zonas contíguas um grande e bonito centro de comércio de Leiria.

Cláudio de Jesus, engenheiro do Ambiente claudiojesus2012@gmail.com

Encerrou há duas semanas a loja de uma conceituada marca de roupas, que ocupava uma localização privilegiada no início da avenida Heróis de Angola, em Leiria.

Imediatamente dei comigo a pensar no que será o futuro daquela avenida, se uma outra marca de roupas do mesmo grupo empresarial e que ocupa o contíguo edifício Paço (em boa hora requalificado), seguir o mesmo caminho, ou seja, transferir-se para o Leiriashopping, concentrando aí os seus esforços comerciais, num local onde é mais fácil apostar, pois tem os consumidores bem concentrados, ao abrigo de vento e chuva e, fator não menos importante, tem estacionamento gratuito.

Recordo há 30 ou 40 anos atrás, a avenida Heróis de Angola como o “centro” da cidade de Leiria, com as suas lojas multimarca, os seus afamados cafés e pastelarias e com o único centro comercial da região – as Galerias Alcrima. Hoje, despojada de quase todos esses ícones, começa a ver-se definhar. As lojas franchisadas e que atraem muitos compradores, procuram transferir-se para locais comercialmente mais atrativos e a população consumidora, aos poucos, vai perdendo o hábito de a frequentar.

O que falta então para modificar esta situação? Falta estratégia concertada. Que permita fazer da avenida Heróis de Angola e zonas contíguas um grande e bonito centro de comércio de Leiria.

(texto publicado na edição de 17 de agosto de 2012)