Doze pessoas morreram em Portugal por complicações decorrentes de infeção pelo novo coronavírus. Quatro na região Centro, quatro na região Norte, três na zona de Lisboa e Vale do Tejo e uma no Algarve.

Já há 1.280 pessoas com teste positivo para o novo coronavírus em Portugal, mais 260 do que ontem, sexta-feira. O número de doentes internados também subiu, estando 156 pessoas a serem acompanhadas em hospitais, 35 das quais em unidades de cuidados intensivos.

De acordo com o boletim divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), às 11h45, cinco pessoas já recuperaram.

Por apresentarem sintomas ligeiros a moderados, os restantes 1.107 doentes estão a recuperar em casa, em isolamento, com acompanhamento das autoridades de saúde.

Foram sinalizados até à data 9.854 casos suspeitos. Em 7.515 casos, o resultado revelou-se negativo.

Estão por outro lado 1.059 pessoas a aguardar resultado laboratorial.

A DGS reporta que as autoridades têm sob vigilância 13.155 pessoas que terão estado em contacto com doentes infetados.

A região Norte, onde foram identificados os primeiros casos de Covid-19, a 2 de março, continua a ser a mais afetada com um total de 644 casos confirmados. Foram ainda reportados 448 testes positivos para o SARS-Cov-2 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 137 na região Centro, 31 no Algarve, 5 na Madeira, 3 nos Açores, 3 no Alentejo e 9 no estrangeiro.

Entre os doentes infetados estão 18 crianças com menos de 10 anos e 52 jovens entre os 10 e os 19 anos. Existem 73 casos de doentes infetados acima dos 80 anos, e 113 entre os 70 e os 79.

Ainda assim é entre o grupo dos 40 aos 49 anos que têm surgido mais casos confirmados (242 ), seguindo-se as faixas dos 30-39 anos (234), 50-59 (214), 60-69 anos (180), e 20-29 (157).

Os dados da DGS referem ainda que 94 casos importados, isto é de pessoas que vieram do estrangeiro nas últimas semanas:  33 de Espanha, 24 de França, 20 de Itália, nove da Suíça, quatro do Brasil, três do Reino Unido, três dos Países Baixos, dois de Andorra, dois dos Emirados Árabes Unidos, e da Alemanha/Áustria, Índia, Irão e Bélgica com um caso cada.

Febre (22%), dores musculares (17%), cefaleias (14%), fraqueza generalizada (11%), tosse (10%), e dificuldade respiratória (9%) são os sintomas mais reportados.

Nota: Título corrigido às 11h58, devido a lapso no número inicial de casos de infeção.