Em parceria com a empresa Mármores Garcogel, a Câmara anunciou que conseguiu garantir que os profissionais de saúde, das instituições particulares de solidariedade social (IPSS) e da proteção civil do concelho tenham acesso a testes ao novo coronavírus, “sempre que fiquem sujeitos ao tratamento e socorro de pessoas infetadas”.

“Ao invés de a cada dia que passa os nossos profissionais de saúde, das IPSS e da proteção civil ficarem em quarentena, sem exercerem a sua função imprescindível até que surja algum sintoma ou decorram 14 dias, a autarquia decidiu contratualizar testes covid-19, para que estes profissionais possam ser imediatamente testados, libertando, desta forma, da quarentena quem mais precisamos que esteja operacional”, justificou o Município numa nota de imprensa.

A Câmara de Porto de Mós, liderada por Jorge Vala, entende que este é um período “preponderante para decidir o nível de amplitude e alcance do vírus no concelho”.

“Continuamos empenhados a trabalhar para garantir as melhores condições de trabalho e de segurança para todos os profissionais, bem como para garantir a melhor qualidade de vida possível para toda a população do concelho”, sublinha a mesma nota, apelando para que as pessoas se mantenham em casa.

Segundo o boletim de hoje, quinta-feira, da Comissão Distrital de Proteção Civil de Leiria, existiam até ontem no concelho de Porto de Mós uma morte, dois casos confirmados de infeção por Covid-19 e 29 pessoas em vigilância.