Assinar
Covid-19

Covid-19: Região de Leiria tem menor incidência mas maior letalidade do que a média nacional

Ansião é o concelho da região com maior incidência de infeções, enquanto Óbidos apresenta a taxa mais alta de letalidade. Já a taxa de recuperações tem vindo a aproximar-se da média nacional

A incidência de novos casos de infeção diminuiu nas últimas duas semanas, na região de Leiria como no país, depois do aumento registado nas duas semanas anteriores e que culminou num pico a 29 de janeiro.

Desde 30 de janeiro e até esta sexta-feira, 12 de fevereiro, foram reportados 5.821 testes positivos no distrito de Leiria e no concelho de Ourém contra 7.063 nos 14 dias anteriores (de 16 a 29 de janeiro).

O número de mortes aumentou em contrapartida, tendo sido sinalizadas 232 vítimas mortais entre pessoas infetadas com Covid-19. Embora a 3 de fevereiro não tenha havido registo de óbitos na região, o que já não sucedia desde 2 de dezembro, foram registados dois novos máximos nestas suas semanas: 31 a 30 de janeiro e 30 a 6 de fevereiro.

Inversamente, as recuperações subiram, tendo sido contabilizados 7.899 doentes recuperados nos últimos 14 dias contra 4.672 nas duas semana anteriores.

Segundo os dados nacionais divulgados pela Direção-Geral da Saúde (DGS), o pico da terceira vaga da pandemia de Covid-19 foi atingido em Portugal a 29 de janeiro. Foi também nessa data que a região identificou o maior número de infeções diárias (924).

Até ao momento, e nos mais de 11 meses que dura a pandemia em Portugal, foram confirmados 27.464 casos de infeção por SARS-CoV-2, 734 mortes e 22.381 recuperações na região.

Feitas as contas, a taxa de incidência (número de casos positivos face à população residente) situa-se em 5,50%. Já a da letalidade – percentagem de óbitos calculada de entre o universo de pessoas infetadas – cifra-se em 2,67%. Recuperaram entretanto 81,49% das pessoas que testaram positivo.

O facto de o concelho de Leiria contabilizar o maior número de casos de infeção (6.603) não significa que seja o mais fustigado. Com uma taxa de incidência de 5,27%, é o 13º concelho mais afetado entre os 17 municípios da região. Já Ansião regista a maior incidência (9,41%) e Bombarral a menor (4,01%).

2,67%

Com 734 óbitos associados à Covid-19, a região de Leiria (distrito de Leiria e concelho de Ourém) regista esta sexta-feira uma taxa de letalidade de 2,67% considerando um universo de 27.464 casos de infeção diagnosticados em cerca de 11 meses de pandemia. Embora com uma incidência de novos casos inferior à média nacional, registou uma taxa de letalidade superior. Nas recuperações, fica ligeiramente aquém da média nacional

Quanto à letalidade, Óbidos, que já reportou 47 mortes (37 das quais no último mês), apresenta uma taxa de 8,01%, muito acima da média regional. Batalha detém, por sua vez, a mais baixa da região (1,89%) sendo o único município da região com um registo inferior ao nacional (1,91%). Segue-se Leiria, capital de distrito, com uma taxa de 2,03%.

Os 22.381 doentes recuperados correspondem por sua vez a 81,49% dos casos diagnosticados em toda a região. Neste ponto, é em Figueiró dos Vinhos que têm recuperado mais pessoas (92,87%), enquanto Castanheira de Pera regista a taxa mais baixa (45,22%), situação a que não alheio o surgimento de mais de 60 novos casos na última semana, de entre um total de 157 apurados até esta sexta-feira.

Na região, além de Figueiró dos Vinhos, oito municípios apresentam uma taxa de recuperações superior à média nacional.

A nível nacional, as autoridades de saúde confirmaram até ao momento um total de 778.369 casos de infeção pelo novo coronavírus, 14.885 óbitos e 665.122 recuperações. Considerando uma população de quase 10,3 milhões de residentes, a incidência cifra-se em 7,56%, a taxa de letalidade em 1,91% e a de recuperações em 82,88%.

Ao comparar os dois balanços – regional e nacional -, a evolução epidemiológica na região apresenta-se menos favorável. Embora com uma menor incidência (5,50% contra 7,56% em todo o país), a mortalidade entre os doentes infetados é superior à média nacional (2,67% contra 1,91%) e a taxa de recuperação inferior embora tenha evoluído favoravelmente nos últimos dias (81,49% contra 82,88%).

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.