Assinar
Covid-19

Covid-19: Marinha Grande tem maioria dos novos casos na região de Leiria

O número de pessoas que recuperaram da infeção (18) é inferior ao número de novos casos (28).

Na Marinha Grande, 15 pessoas testaram positivo à Covid-19 desde ontem, terça-feira, sendo este o concelho que regista o maior número de novos casos nas últimas 24 horas.

O último balanço da situação epidemiológica na região de Leiria dá conta de 28 novos casos de infeção. Além da Marinha Grande, os restantes casos foram detetados em Leiria (4 casos), Porto de Mós (3), Alcobaça (2), Ourém (2), Pombal (1) e Caldas da Rainha (1).

Esta quarta-feira, 7 de abril, o número de pessoas que recuperaram da infeção é inferior ao número de novos casos, tendo sido assinaladas 18 recuperações.

A Marinha Grande e Porto de Mós estão no topo da lista, com cinco “altas” cada concelho, seguidos de Leiria (2 recuperações), Pombal (2), Caldas da Rainha (2), Nazaré (1) e Peniche (1).

Estes dados não incluem a informação dos concelhos do Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Interior que fazem parte da região de Leiria – Alvaiázere, Ansião, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande – que não são atualizados desde ontem, 6 de abril.

Também o município do Bombarral permanece sem alterações, uma vez que os dados relativos a este concelho não são atualizados desde sábado, 3 de abril.

Desde o início da pandemia, em março de 2020, a região de Leiria totaliza 29.188 casos confirmados, 28.038 recuperações, 273 casos ativos e 877 óbitos.

Fonte: Comissão Distrital de Proteção Civil de Leiria, Unidade de Saúde Pública do Médio Tejo e municípios.

Os dados referem-se aos 16 concelhos do distrito de Leiria e ao concelho de Ourém que, apesar de pertencer ao distrito de Santarém, mantém com Leiria grande proximidade e tem o Hospital de Santo André como hospital de referência.

Apoie o REGIÃO DE LEIRIA

Se chegou até aqui é porque este é um texto que lhe interessa. Por detrás dele há uma equipa e um conjunto de recursos que custam dinheiro e que, para continuarem a existir, precisam da sua ajuda. Gostávamos de lhe explicar como.