Câmara Municipal de Leiria e Grupo Regojo vão reunir pela primeira vez para discutir a instalação na cidade de um segundo centro comercial de grandes dimensões.

Foto de Arquivo: Joaquim Dâmaso
Foto de Arquivo: Joaquim Dâmaso

O encontro está agendado para a próxima segunda-feira, devendo servir para as duas partes abordarem pontos de interesse comuns que possam potenciar o projecto.

Em cima da mesa está o Leiria Street Fashion, ocupando o edifício do terminal rodoviário, na esquina da Avenida Heróis de Angola com o Largo do Papa. O projecto já recebeu um parecer favorável – relativamente ao pedido de informação prévia – da Câmara. Foi em Fevereiro do ano passado. No entanto, a falta de financiamento da banca colocou travão ao investimento.

Em Outubro, o Grupo Regojo recuperou a ideia. Quer replicar em Leiria o conceito inaugurado em Braga, com o Liberdade Street Fashion, mas pretende apoio da autarquia. Já há três meses, o Grupo que gere em Portugal marcas como a Massimo Dutti e a Nike dava conta ao REGIÃO DE LEIRIA da vontade de ter no terminal rodoviário a Loja do Cidadão, um supermercado El Corte Inglés e lojas dos grupos Inditex (Zara, Pull & Bear, entre outras) e Cortefiel.

A ideia dos promotores, que têm trabalhado localmente com o empresário António Soares, é criar um centro comercial com serviços, habitação e estacionamento que funcione em colaboração com as lojas de rua.

No papel, estão previstas 70 a 90 lojas, 36 habitações e 900 empregos.

O valor do investimento tem sofrido diversos ajustamentos. Segundo o Grupo Regojo, eram inicialmente 58 milhões de euros, mas o valor necessita de ser revisto em baixa, por causa da crise económico-financeira internacional e da situação actual do país.

Cláudio Garcia
claudio.garcia@regiaodeleiria.pt